Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

Em recente visita ao Brasil, Carlos Tavares, CEO do  Groupe PSA, afirmou que qualquer fabricante de veículos que desejar se manter forte globamente a partir da próxima década terá de desenvolver  — e controlar — tecnologias para o universo dos veículos híbridos e elétricos.

Tanto que, destacou, a empresa que dirige já trabalha para criar e produzir internamente quase tudo que diga respeito aos motores e sistemas elétricos. “A montadora que não detiver essas tecnologias ficará com o pires na mão. Só não vamos internalizar as células das baterias, pois não somos químicos”, brincou.

Guignard:eletrificação de toda a gama até 2025.

Mas Tavares não está brincando nessa corrida deflagrada mundialmente para a eletrificação da frota. A PSA acaba de dar mais um importante passo nesse sentido: oficialmente, em 1º de abril, criou a Business Unit (BU) Low Emission Vehicles (Veículos de Baixas Emissões).

A divisão se debruçará integralmente sobre os planos do conglomerado francês de ter alternativas eletrificadas para a totalidade de sua gama de produtos em todo o mundo até 2025.

A nova unidade, sob o comando do vice-presidente senior Alexandre Guignard, terá atuação global e será responsável por definir e implantar a estratégia de veículos elétricos e pela implementação dos produtos e serviços relacionados para as marcas de veículos Peugeot, Citroën, DS e Opel-Vauxhall, e para a plataforma de mobilidade Free2move.

Guidnard se reportará a Linda Jackson, CEO da marca Citroën, que terá responsabilidade direta sobre a nova unidade.

Os primeiros veículos da ofensiva elétrica da montadora sairão das linhas de montagem já a partir de 2019.  Mas a Opel, por exemplo, já confirmou que a nova geração do Corsa, que será apresentada no ano que vem, terá sua versão integralmente elétrica logo no ano seguinte.


Foto: Divulgação/PSA