Por Joel Leite

As vendas de carros importados cresceram 39% no primeiro trimestre, bem acima da média do mercado, que foi de 14,7%.O volume ainda é pequeno, 8.459 carros no período, representa apenas 1,7% do mercado interno. Mas é um alento para o setor, que sofreu com a restrição de importação até o ano passado, quando as importadoras eram obrigadas a se submeter a cotas de compra, e caso importassem um volume acima da cota teriam que recolher um IPI extra de 30 pontos porcentuais.

Essa situação restringiu o comércio de importados pelas empresas que não têm fábrica no Brasil, mas a partir deste ano a importação está liberada, com o pagamento apenas dos 35% da alíquota de importação.

O aumento foi formidável para várias marcas. A Kia, marca líder do segmento, teve um aumento de vendas de 61,7% no trimestre, com 3.017 unidades licenciadas, e colocou três modelos entre os dez mais vendidos, tendo o Sportage como o veículo importado mais vendido este ano, com 1.420 unidades. Os outros são o Cerato, segundo colocado e o Bongo, sétimo.

A Volvo é a segunda marca de importados mais vendida, com 1.095 unidades no trimestre, seguida pela JAC, com 1.060, Lifan (719) e BMW (540).

A Kia foi a marca que mais vendeu e a que mais cresceu. Outras quatro marcas cresceram mais de 30% no período: Volvo (56,7%), Porsche   (34,0%), JAC (32,5%) e BMW (31,7%).

Em março as vendas chegaram a 3.457 unidades, alta de 34,1% em relação a fevereiro (2.577 unidades) e de 40,9% sobre março de 2017 (2.453).

A Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores, tem 17 marcas filiadas e a entidade mantém estimativa de vendas de 40 mil unidades para o ano.

* Joel Leite é jornalista, palestrante e criador da Agência AutoInforme, agência especializada no setor automotivo