Por Décio Costa | autoindustria@autoindustria.com.br

A cobiçada categoria de caminhões pesados é a que tem se mostrado como o principal motor na recuperação do mercado de veículos rodoviários de carga. Nos cinco primeiros meses do ano, o segmento acumulou 11.679 unidades vendidas, um crescimento de 89,4% sobre o mesmo período do ano passado, quando registrou 6.166 emplacamentos. Até o fim de maio, o volume negociado representou 44,4% das vendas internas totais, de 26.323 caminhões.

Pelo balanço do setor mais recente consolidado pela Anfavea, a Mercedes-Benz é a marca que melhor aproveita o atual cenário. No segmento, dominado até bem pouco tempo atrás pela Scania e Volvo, a fabricante de São Bernardo do Campo (SP) lidera com certa folga.

De janeiro a maio, os pesados da Mercedes-Benz somaram 3.456 unidades negociadas, alta de 97,8% sobre as vendas acumuladas do mesmo do ano anterior, de 1.747 caminhões. O volume permitiu à montadora disparar na liderança com participação de 29,6% da categoria.

Leia mais

→Ouro Verde compra 140 Mercedes-Benz Axor

→Mercedes-Benz Axor para levar madeira

→Mercedes-Benz começa o ano com o pé no acelerador

Com diferença de 321 unidades, a Volvo ocupa a vice-liderança das vendas de pesados ao negociar nos cinco primeiros meses do ano 3.135 caminhões, crescimento de 90,1% na comparação com o acumulado do ano anterior, de 1.644 modelos. O desempenho garantiu à fabricante de Curitiba (PR) fatia de 26,8% das vendas.

Leia mais

→Volvo reforça capacidades para as operações severas

→Volvo projeta alta de 30% nas vendas de caminhões

A Scania garantiu o terceiro lugar no ranking com a licenciamento de 2.876 caminhões pesados, o que representou alta de 84,7% sobre as 1.557 unidades licenciadas há um ano e participação de 24,6% nas vendas da categoria. Cabe lembrar, no entanto, que o caminhão mais vendido do mercado total é um modelo da marca, o R440. Até maio, suas vendas somaram 1.818 unidades, volume que representou 15,5% dos modelos de pesados vendidos.

Leia mais

→Scania mostra Super Rodotrem na Agrishow

→Scania começa o ano com grandes negócios

→Scania R440 passeou em 2017

Distante do trio da frente, em quarto lugar aparece a MAN, fabricante que também contabiliza os modelos da marca Volkswagen, acumula 1.043 pesados emplacados até maio, salto de 62,2% sobre o volume registrado no mesmo período do ano anterior, de 643 unidades. O resultado até agora, concede à companhia fatia de 8,9%.

A DAF, a quinta no ranking de vendas da categoria, segue como a marca de caminhões pesados que mais cresce, 136,2% até maio. Por praticamente ser uma estreante no mercado brasileiro – inaugurou fábrica em Ponta Grossa (PR), em 2013 -, a evolução dos negócios é gradual e com volumes bem menores se comparados aos das rivais. Ainda assim, os 692 caminhões no período permitiram à marca obter 5,9% do segmento.

A lista de marcas que mais venderam pesados segue com a Iveco, na sexta posição, com 419 modelos vendidos até maio, o que representou alta de 119,4% na comparação com o acumulado do mesmo período do ano passado, de 293 unidades, e participação de 3,6%.

A Ford Caminhões, na lanterna do ranking, foi a única marca a registrar queda nas vendas de caminhões pesados, de 28% com 54 unidades vendidas contra os 75 emplacamentos até maio do ano anterior.


Foto: Mercedes-Benz/Divulgação