Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

Durante evento organizado pela Daimler denominado Capital Market & Techonology Days, na quinta-feira, 7, em Portland, no Estados Unidos, a empresa apresentou duas versões de caminhões totalmente elétricos baseados nos modelos de sua marca Freightliner: o eCascadia e o eM2 106. Na ocasião, a companhia aproveitou para anunciar a criação de uma nova unidade de operação dedicada ao desenvolvimento de soluções para o campo da eletromobilidade, o E-Mobilty Group.

O eCascadia foi desenvolvido sobre a plataforma de um dos cavalos-mecânicos mais vendidos nos Estados Unidos e projetado para cumprir aplicações rodoviárias por longas distâncias. O segundo, baseado na linha de médios da marca, tem vocação para atuar nas operações de distribuição, com capacidade de 9 a 12 toneladas de PBT (peso bruto total).

Com os veículos, a operação da Daimler na América do Norte, pretende entregar uma frota de 30 unidades para clientes da região do Nafta no decorrer deste ano. O objetivo é acumular experiência e entender como promover eficiência ao transporte rodoviário de carga a partir da oferta com caminhões elétricos.

Nas poucas informações técnicas divulgadas pela Daimler, o trem de força do eCascadia gera 730 cv e conjunto de bateria que armazena 550 kWh, energia suficiente para uma autonomia de até 400 km. Em 90 minutos de recarregamento, 80% da capacidade será reestabelecida para cobrir 320 km. O modelo será certamente um dos maiores rivais do Semi, o caminhão para longas distância já revelado pela Tesla.

O eM2 106, destinado às tarefas de distribuição regional ou para o chamado serviço de última milha, tem baterias para armazenar 325 kWh, apto para alcance de 370 km. O conjunto entrega 480 cv e 80% da capacidade poderá ser obtida em 60 minutos de recarga, o que proporciona autonomia de 300 km.

As novas versões da Freightliner se juntam a um extenso de leque de soluções em desenvolvimento ou já na prateleira do grupo alemão, como o Fuso eCanter, o Mercedes-Benz eActros, o ônibus Mercedes-Benz Citaro e o escolar Thomas Built Saf-T Liner C2 Jouley.

Leia mais

→Mercedes-Benz inicia testes com o pesado eActros

→Mitsubishi Fuso lança caminhão 100% elétrico

Para dar sustentação global aos desenvolvimentos da companhia no campo da eletromobilidade, o Grupo Daimler anunciou a criação da unidade EMG, de E-Mobility Group. A empresa destaca que a mobilidade elétrica se apresenta como um motor para as inovações da indústria de veículos comerciais e decisiva para tornar o transporte livre de emissões, mas que precisa ser rentável, tanto para o cliente quanto para o fabricante.

A nova divisão atuará de maneira transversal, em apoio a todas as marcas do grupo, na definição de estratégias para componentes elétricos, veículos elétricos completos e desenvolvimento de plataformas globais. O EMG será composto por funcionários de diversos lugares da rede mundial de desenvolvimento da empresa, da América do Norte ao Japão.

A partir de 1º de julho, Gesa Reimelt, chefe da área de projetos de produtos trem de força & eDrive da Mercedes-Benz Automóveis, será a responsável pela nova unidade, se reportando a Frank Reintjes, chefe da área de trem de força global e de engenharia de fabricação da Daimler Trucks.

“Esperamos uma demanda crescente por caminhões e ônibus elétricos e somente fabricantes que lideram o campo em sistemas de acionamentos convencionais e elétricos são capazes de oferecer soluções convincentes, técnica e de negócios”, diz em comunicado Reintjes. “Sempre nos beneficiamos de nossa estratégia de plataforma mundial para os veículos convencionais. Também estaremos adotando essa abordagem para os sistemas de acionamento elétrico no futuro.”


Foto: Daimler Trucks/Divulgação