Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

A corrida mundial pela eletrificação dos veículos, mais do que acirrar a concorrência, tem forçado a aproximação entre as montadoras. O elevado custo para o desenvolvimento de produtos confiáveis e comercialmente viáveis em um curto prazo de tempo, faz com que muitas delas juntem esforços e dividam a conta.

Nesta sexta-feira, 8, foi a vez de Honda e General Motors anunciarem acordo para desenvolvimento de componentes químicos de baterias, incluindo células e módulos. A ideia da parceria é exatamente acelerar o plano de eletrificação das duas empresas.

Para ganharem tempo e reduzirem custos, as duas empresas trabalharão conjuntamente na próxima geração do atual sistema de bateria da General Motors. Em comunicado, as montadoras asseguram que a futura geração será menor, com maior densidade de energia e mais agilidade na recarga.

“Nossa experiência de décadas e investimentos estratégicos em eletrificação, juntamente com o compromisso da Honda em promover o avanço da mobilidade, resultarão em melhores soluções e progresso em nossa visão de emissões zero”, disse Mark Reuss, vice-presidente  Desenvolvimento Global de Produtos, Compras e Cadeia de Suprimentos da General Motors.

“Esta colaboração para componentes de bateria nos permitirá dar um novo passo em direção à realização de uma sociedade sustentável”, completou Takashi Sekiguchi, COO de Automóveis da Honda.

Esta não é a primeira experiência conjunta das duas empresas em desenvolvimento de tecnologias alternativas ao motores a combustão. Honda e GM já têm histórico no campo da eletrificação: formaram joint venture para produção de célula de combustível a hidrogênio até 2020.

Leia mais

→Itirapina concentrará produção de automóveis Honda

→GM prepara-se para as mudanças radicais da indústria


Foto: Divulgação/Honda