Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

A Nissan está mais uma vez envolvida em fraude de testes. A montadora admitiu que encontrou adulterações em resultados de emissões de poluentes e economia de combustível de dezenove de seus modelos produzidos e vendidos no Japão.

Segundo a Nissan, a falsificação dos resultados foi descoberta pela própria empresa em testes de amostragem de inspeção final em diversas de suas fábricas locais.

Apesar de não revelar quantos veículos estão envolvidos em mais este incidente, diz que não há qualquer irregularidade nas unidades destinadas a outros mercados.

No ano passado a empresa já admitira que durante anos inspeções do gênero foram realizadas por técnicos não certificados.

“Esta é uma questão profunda e séria para a nossa empresa”, disse, em entrevista coletiva, Yasuhiro Yamauchi, diretor de operações, que assegurou que as investigações seguirão por pelo menos mais um mês.

→Nissan vendeu 5,77 milhões de veículos no ano fiscal 2017

→Daimler terá de fazer recall em 774 mil veículos

→CEO da Audi é preso na Alemanha

Dos cerca de 2,2 mil testes de realizados em seis fábricas da montadora no Japão, perto de 1,2 mil tiveram alguma forma de falsificação.

A empresa não informou todos os modelos envolvidos, mas admitiu que o Note e  SUV Juke, dois importantes produtos em termos de vendas, estão entre eles.


Foto: Divulgação/Nissan