Por Alzira Rodrigues | alzira@autoindustria.com.br

O presidente da Fenabrave, Alarico Asumpção Júnior, aproveitou a presença de autoridades do governo federal na abertura do 28º Congresso&ExpoFenabrave para levantar propostas pendentes do setor e solicitar o encaminhamento de alguns projetos, como o da renovação de frota, que é debatido há anos no setor e chegou a ser prometido para 2017, só que nunca saiu do papel.

“Conversei com o presidente (Michel Temer) e ele prometeu abrir um dia na agenda para nos atender”, informou Assumpção Jr. na terça-feira, 7, durante o congresso da entidade que se encerra nesta quarta-feira, 8, no Transamérica Expo Center, na capital paulista.

Com o tema “Resiliência – O mundo é digital e o relacionamento é humano”, o evento deve reunir em dois dias mais de 3 mil pessoas, entre congressistas e visitantes na área de exposições. A solenidade de abertura foi bastante concorrida, com a participação de ministros, políticos e executivos do setor, dentre os quais o presidente da Anfavea, Antonio Megale, e da Abeifa, José Luiz Gandini, e o vice-presidente da Toyota do Brasil, Miguel Fonseca.

LEIA MAIS

Toyota abrirá mais 50 revendas em dois anos

O presidente da Fenabrave levantou duas questões pendentes. O projeto de renovação de frota e o Renave, sistema informatizado de venda e transferência de veículos novos e usados, que já é lei mas ainda não foi regulamentado.

“Para o Renave entrar em vigor, é preciso interligar todos os Detrans estaduais com o Denatran, órgão federal. Ele impedirá a duplicidade de registro e reduzirá o tempo de transferência de 30 para 4 ou 5 dias , gerando um ganho de R$ 6 bilhões por ano”.

Com relação ao projeto de renovação de frota, Alarico Jr. lembrou que dezenove entidades estiveram envolvidas na elaboração do projeto em 2016, incluindo entidades representativas da indústria, da rede e dos trabalhadores. O governo, na época, chegou a garantir que ele entraria em vigor em 2017, mas há muito tempo já não se falava mais sobre o assunto.

LEIA MAIS

Suspensão da inspeção veicular preocupa a Anfavea

Segundo Alarico, tal projeto representaria venda adicional por ano de 500 mil automóveis e comerciais leves e cerca de 30 mil caminhões. A ideia é conceder incentivos para quem tem um veículo muito velho trocar por um usado mais novo, o que geraria um processo na cadeia que acabaria beneficiando o mercado de zero-quilõmetro.

Com relação ao Congresso&ExpoFenabrave, o presidente da entidade disse que o primeiro dia do evento superou as expectativas. “Depois de viver anos difíceis, estamos nos recuperando e o evento reflete esse momento de retomada”.

O futuro da rede concessionárias frente ao novo cenário automotivo mundial e local foi o principal foco das palestras e debates. Doug Betts, vice-presidente sênior global e gerente geral de operações automotivas globais da J.D. Power, fez palestra na terça-feira, 7, no encerramento do primeiro do evento, sobre os reflexos das mudanças tecnológicas no modo de fazer negócio nas concessionárias, os desejos dos clientes neste novo contexto e a perspectiva da consultoria sobre como as concessionárias podem manter seus clientes apesar da interrupção digital.


Foto: Divulgação/Fenabrave