Por Alzira Rodrigues| alzira@autoindustria.com.br

Na contramão do mercado, a Toyota ampliou sua rede de concessionárias nos últimos três anos e continua processo de expansão de atendimento da marca no País. Passou de 150 para 250 revendas no período, das quais dez inauguradas este ano, e planeja abrir mais 50 nos próximos dois anos, conforme revela Miguel Fonseca, vice-presidente da Toyota no Brasil.

“Estamos expandido a rede com os parceiros que já temos”, explicou. Fonseca participou nesta terça-feira, 7, da abertura do 28º Congresso & ExpoFenabrave no Transamerica Expo Center, em São Paulo, quando proferiu palestra magna sobre o futuro da relação montadoras e concessionárias, além de receber o prêmio Marca do Ano – Automóveis e Comerciais Leves, concedido pela Fenabrave.

“Já é a terceira vez (não consecutiva) que ganhamos o título de marca do ano”, comemorou Fonseca. Ele comentou que a empresa opera hoje com 100% de sua capacidade e mesmo assim não tem conseguido atender a demanda pelos seus modelos compactos, o Etios e o Yaris.

LEIA MAIS

Yaris custa a partir de R$ 59,6 mil

Toyota: como obter bom valor de revenda.

Somente em novembro a empresa conseguirá iniciar o terceiro turno em sua fábrica de Sorocaba, onde faz os dois modelos, ampliando a capacidade de 120 mil para 160 mil unidades/ano. Atualmente opera em dois turnos e com programas de horas extras diárias e também aos sábados.

Por conta dessa limitação, a marca deverá crescer 5% este ano, contra os 9% que o vice-presidente projeta para o mercado total de automóveis e comerciais leves. Isso significará perda de participação, mas Fonseca lembra que nas vendas do varejo a marca ocupa hoje a terceira colocação (no cômputo geral está em sexto).

Mesmo com a ampliação, a Toyota ainda continuará tendo problema para atender o mercado interno, visto que o objetivo é exportar 35 mil unidades/ano do Etios e Yaris. Segundo Fonseca, o Yaris começará a ser exportado para a Argentina em outubro ou novembro. Ele diz que a empresa não tem tido problemas no país vizinho e está com vendas crescentes lá.

“Exportamos 45 mil unidades no ano passado e deveremos ter um número próximo este ano. Mas a partir do ano que vem queremos ampliar nossos negócios no exterior”.

Com relação a novos investimento para ampliar capacidade produtiva, o vice-presidente da Toyota diz que há estudos nesse sentido, mas nada definido por enquanto. A fábrica de Sorocaba, segundo ele, tem espaço físico para chegar a até 400 mil veículos/ano. Já Indaiatuba, SP, onde opera em dois turnos, não há como ampliar capacidade.

Além de a Toyota ter sido eleita a marca do ano na 23ª Pesquisa Fenabrave de Relacionamento com as Marcas, realizada online, pela Scheuer Consultoria, a entidade que representa as suas concessionárias, a Abradit, foi escolhida como a Associação de Marca do Ano.


Foto: Divulgação/Fenabrave