Além do seu tradicional balanço mensal de vendas, a Fenauto, entidade que representa o segmento de lojistas de veículos multimarcas, passou a divulgar acompanhamento semanal do mercado para vislumbrar o ritmo de retomada do setor após a forte crise de abril e maio, quando foram implantadas, em todo o País, medidas de isolamento social por causa da Covid-19.

Confirmando projeção feita em julho, a entidade constatou a retomada do ritmo pré-pandemia na segunda semana deste mês de agosto, quando as vendas diárias superaram 60 mil veículos seminovos e usados, praticamente igualando-se ao nível registrado na primeira quinzena de março. Os dados contemplam todos os segmentos veículos, incluindo leves, pesados e também motocicletas.

Foram comercializadas 60.024 unidades/dia na segunda semana deste mÊs, 7,1% a mais do que na semana anterior. Na primeria quinzena de março, as vendas diárias atingiram 60,9 mil. “Com os números normalizados, o desafio agora a ser enfrentado é a falta de veículos no mercado para atender à demanda”, revela Ilídio dos Santos, presidente da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores.

Segundo ele, os resultados atuais mostram aforça do setor e sua capacidade de recuperação após um período prolongado de isolamento e fechamento do comércio: “Com a diminuição da velocidade da propagação do vírus em vários Estados, além do relaxamento da quarentena em diferentes setores da economia, as perspectivas continuam otimistas”.

Anúncio

LEIA MAIS

Veículos usados alavancam financiamentos na pandemia

Venda de usados reage mais rápido que a de 0 km

De acordo com o executivo, o uso intenso de ferramentas digitais por parte dos lojistas foi fundamental para impedir a paralisação total do mercado e garantir a retomada em ritmo mais rápido do que o verificado em outros segmentos, inclusive no de 0 km.

Na sua avaliação, parte dos consumidores utilizou sistema online para adquirir carros nos meses mais críticos do mercado e outra parte, que havia adiado decisão nesse sentido, está agora procurando as lojas para encontrar o veículo que deseja.

A Fenabrave, que também acompanha o mercado de usados, chegou a divulgar no início da pandemia a existência de um movimento de troca com troco, ou seja, o consumidor trocava um veículo mais novo por um mais velho para fazer caixa e equilibrar seu orçamento. Esse comportamento gerado pela pandemia certamente tem ajudado o mercado de usados a recuperar-se mais rápido que outros setores econômicos.


Foto: Pixabay