Por Alzira Rodrigues| alzira@autoindustria.com.br

Como já era esperado pela Anfavea, junho iniciou com vendas abaixo das registradas no começo de maio, reflexo da greve dos caminhoneiros que deixou as redes desabastecidas na virada do mês. Além disso, teve a comemoração de Corpus Christi no dia 31 de maio, que afetou o movimento da sexta-feira, 1, por ser emenda do feriado.

De acordo com dados do Renavam fornecidos por fonte do varejo automotivo, as vendas na primeira quinzena atingiram 97.680 veículos, com média diária de 8.880 unidades. Nos primeiros quinze dias de maio, o número de emplacamentos chegou a 107 mil veículos, com média diária de 10,7 mil.

Leia mais

Venda de veículos caminha para novo recorde em maio

Anúncio

O mercado, no entanto, vem reagindo desde a semana passada e na sexta-feira, 15, chegou a 11 mil unidades licenciadas. As perspectivas, assim, são positivas para esta segunda quinzena. Concessionários acreditam que será possível superar 200 mil unidades no mês, atingindo volume superior ao de maio.

O mês passado foi prejudicado pela greve dos caminhoneiros que deixou as concessionárias praticamente sem movimento na última semana.

Leia mais

“Estamos abertos, sem ter o que fazer”, diz Fenabrave

Segundo a Anfavea, deixaram de ser licenciados em maio pelo menos 25 mil veículos. As vendas ficaram em 201.897 unidades, com queda de 7,1% em relação a abril. Não fosse a paralisação do transporte, o mês teria registrado volume recorde no ano.