Trabalhadores da Mercedes-Benz da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) aprovaram, por meio de votação online, acordo de trabalho para mais de 8 mil funcionários da empresa. As medidas da negociação providenciam segurança à saúde dos colaboradores, conforme orientações da OMS, além de procurar trazer novamente equilíbrio financeiro à empresa. A unidade está parada desde 30 de março, em ação para combater o avanço do novo coronavírus.

Pelo acordo, a partir de 4 de maio, as atividades presenciais na unidade do ABC voltam de maneira gradual, com redução de salário e jornada de trabalho de 25% até 31 de julho para administrativos que não estejam ligados diretamente à produção. Os que puderem trabalhar à distância, no entanto, seguem em regime de home office.

No chão de fábrica, 50% dos colaboradores terão suspensão temporária de contratos de trabalho entre 4 de maio a 30 de junho. Ao fim do período, aos outros 50% terão os contratos suspensos de 1º de julho e 31 de agosto. A redução nos salários também será no mesmo patamar de 25%.

Anúncio

Ainda segundo o acordo, a Mercedes-Benz garante estabilidade de emprego até 31 de dezembro de 2020 a todos os empregados da unidade do ABC. “A empresa mantém o seu compromisso de evitar demissões, além de assegurar a sustentabilidade do seu negócio no mercado brasileiro. São alternativas viáveis e que trazem mais tranquilidade a todos durante esse período extremamente desafiador”, diz o comunicado.

De acordo com a fabricante, as demais fábricas de Campinas e Iracemápolis (SP) e de Juiz de Fora (MG), as negociações seguem andamento junto aos respectivos sindicatos locais.

LEIA MAIS

Mercedes-Benz planeja voltar a produzir em maio

Mercedes-Benz estende férias coletivas até 2 de maio


Foto: Mercedes-Benz/Divulgação