Por Alzira Rodrigues

Por ser um mês mais curto e contemplar o feriado de carnaval, fevereiro é tradicionalmente um período mais fraco em vendas. Mas se for mantido o ritmo dos primeiros dezenove dias do mês, o mercado de veículos confirmará alta em relação ao ano passado já verificada em janeiro, reforçando a curva ascendente da retomada dos negócios no setor.

De acordo com dados do Renavam, foram emplacados nos primeiros dezenove dias do mês um total de 89,7 mil veículos, o que sinaliza um mercado em fevereiro em torno de 148 mil a 150 mil unidades, segundo fontes do varejo automotivo. É um número inferior ao de janeiro (181,3 mil unidades), mas fevereiro tradicionalmente é o mês de menor volume de vendas do ano.

O importante nesse comparativo é a média de vendas diárias, que este mês – considerando os 11 dias úteis até o dia 19 – está na faixa de 8,2 mil unidades, bem próxima à registrada em janeiro. Ainda mais relevante é o fato de o mercado confirmar em fevereiro crescimento sobre o mesmo mês do ano passado, garantindo um primeiro bimestre positivo.

Varejo em alta – Um dado interessante do mercado este ano é o crescimento das vendas no varejo, que no ano passado ficaram estáveis com relação a 2016, na faixa de 1,3 milhão de unidades. Foram as vendas no atacado, que cresceram 28,3% no mesmo comparativo, num total 868,9 mil unidades, que garantiam a alta de 9,4% do mercado total de automóveis e comerciais leves em 2017.

Anúncio

Já neste início de ano verifica-se uma reação positiva também nas vendas no varejo. Dos 175,8 mil automóveis e comerciais leves comercializados em janeiro, 116,8 mil foram para o consumidor pessoa física, o que representou alta de 15,9% sobre as 110,8 mil unidades negociadas no varejo no mesmo mês do ano passado.

As vendas diretas registram crescimento maior nesse mesmo comparativo, de 37,2%. Foram vendidas no atacado 59 mil unidades no mês passado, contra as 43 mil do primeiro mês de 2017. Com isso a participação das vendas diretas no mês ficou em 33,5%, índice superior ao registrado em janeiro de 2017, que foi de 29,9%.

Mas em relação aos últimos meses do ano passado, quando as vendas diretas chegaram a atingir 42%, houve queda de participação das transações no atacado no mercado total de automóveis e comerciais leves. O índice de janeiro é inferior às médias dos últimos dois anos, que foram de, respectivamente, 40% e 34,1%.