A Cummins apurou receita no terceiro trimestre de US$ 5,9 bilhões, valor 12% superior ao obtido no mesmo período do ano passado. A companhia atribui o resultado ao crescimento da demanda nos segmentos de caminhões, construção e geração de energia em seus principais mercados. Segundo relatório, as vendas na América do Norte avançaram 17% e as receitas internacionais evoluíram 6%, lideradas pelo avanço na Índia, China, América Latina e Europa.

No período o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi recorde de US$ 983 milhões, em alta de 24,7% sobre os US$ 788 milhões apurados no terceiro trimestre de 2017. Assim, o lucro líquido alcançou de julho a setembro US$ 692 milhões contra US$ 453 milhões obtidos há um ano, expansão de 52,7%.

“Entregamos lucro recorde neste trimestre por conta do aumento da demanda em vários mercados-chave, crescimento em nossa fatia de mercado e os benefícios de iniciativas de redução de custos”, diz em nota Tom Linebarger, Chairman e CEO da Cummins. “Até o momento, devolvemos US$ 1,4 bilhão aos acionistas na forma de dividendos e recompra de ações, consistente com nosso plano de devolver 75% do Fluxo de Caixa Operacional em 2018.”