A indústria de motocicletas encerrou 2018 com a produção de 1.036.846 unidades no PIM, Polo Industrial de Manaus, registrando crescimento de 17,4% em relação ao total de 2017, quando saíram das linhas de montagem 882.876 unidades.

“O volume final ficou bem próximo da nossa projeção revisada, que era de 1.035.000 unidades e crescimento de 17,2%, demonstrando o otimismo da entidade em relação ao setor e a recuperação do cenário econômico no País”, comentou Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo na quinta-feira, 10, ao divulgar o balanço das associadas no ano passado e as projeções para este ano.

O resultado de 2018, segundo Fermanian, reflete a retomada da confiança por parte do consumidor, a recuperação econômica e o aumento da oferta de crédito, além do número significativo de lançamentos de novos modelos pelas fabricantes de motocicletas.

Para 2019, o executivo projeta a produção de 1.080.000 unidades, o que significará uma alta de 4,2% sobre as 1.036.846 unidades fabricadas em 2018: “Estamos confiantes no aumento dos negócios, mas é necessário aguardar os impactos das medidas que serão implementadas pelo novo governo”.

As vendas do atacado – das fabricantes para as concessionárias – acompanharam o crescimento da produção, fechando 2018 com uma alta de 17,6% em relação a 2017. De janeiro a dezembro foram comercializadas 957.617 motos, ante as 814.573 unidades de 2017.

Anúncio

No varejo, foram comercializadas 940.108 motocicletas no ano passado, expansão de 10,5% na comparação com o ano anterior (851.013 unidades). A expectativa da Abraciclo é de novo crescimento este ano, de 6,2%, para algo bem próximo de 1 milhão de unidades.

Somente em dezembro, quando foram licenciadas 84.063 unidades, o crescimento foi de 8,6% em relação ao mesmo mês de 2017, que teve 77.437 unidades emplacadas. Na comparação com novembro de 2018 (76.792 unidades), a evolução foi de 9,5%. A média diária de vendas em dezembro chegou a 4.203 unidades, a melhor em relação ao mesmo mês dos últimos dois anos.

Categorias – Foram comercializadas no atacado 484.182 motocicletas da categoria Street no ano passado – a de maior representatividade no setor -, volume 16,6% maior do que o registrado em 2017 (415.225 unidades).

A categoria que mais cresceu, no entanto, foi a Motoneta, com alta de 26,6% (142.835 unidades) em relação a 2017 (112.796 unidades). As demais categorias também acompanharam a curva de crescimento com aumentos de 15,7% na Trail (201.145 unidades), 15,3% na Scooter (67.183 unidades) e 16,9% na Naked (22.670 unidades).


Foto: Divulgação/BMW