Enquanto as vendas totais de automóveis e comerciais leves 0 Km cresceram 10,5% em maio com relação a abril, o mercado de usados desses produtos apresentou expansão de 118,4% no mesmo comparativo, com as transações atingindo 318.150 unidades no mês passado, ante as 145.654 do período anterior.

Segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, dois fatores explicam essa retomada mais robusta no mercado de usados. “A alta de maio foi fortemente influenciada pela volta de funcionamento de alguns Detrans, o que permitiu a realização das transações. Outro fato relevante é a própria crise, que fez muitas pessoas abrirem mão de seus veículos usados, seja para trocar por outro, de menor valor, ou mesmo para revertê-los em dinheiro, para complementar sua renda e honrar compromissos”, explica o empresário.

Considerando todos os segmentos representados pela Fenabrave – veículos leves e pesados, motos e implementos rodoviários -, as vendas de usados atingiram 440.148 unidades em maio, com expansão de 121% sobre as 199.161 de abril.

Na comparação com maio de 2019, quando 1.276.109 veículos usados foram transacionados, houve baixa de 65,51%, reflexo das medidas de isolamento social impostas pela Covid-19, que ainda mantém fechadas concessionárias e lojas independentes em várias regiões do País, em especial no Estado de São Paulo, principal polo comprador do setor.

LEIA MAIS

Vendas diretas de veículos recuam 24,5% em maio

Reação tímida no mercado de veículos

Anúncio

Carro financiado: de cada 10 cadastros, 5,6 aprovados em maio

No acumulado de janeiro a maio de 2020, foram negociadas 3.761.339 veículos usados em todos os segmentos representados pela Fenabrave, o que representa retração de 34,7% sobre o mesmo período de 2019, que somou 5.760.212 unidades.

A Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, que representa os lojistas independentes, reconhece que os números de maio sinalizam uma retomada do setor, mas avalia que o processo será lento, visto que os números ainda estão muito distantes dos observados no período anterior à pandemia.

Durante a quarentena a Fenauto vem realizando encontros virtuais com os associados e parceiros do setor financeiro, portais de comércio eletrônico e outros convidados, buscando oferecer alternativas e auxiliar os lojistas na geração de negócios. Assim como a Fenabrave, a Fenauto também acredita que a reabertura virtual dos serviços dos DETRANs em vários estados contribuiu para a melhora do cenário.

Ilídio dos Santos, presidente da entidade, diz que o setor continua atento aos estímulos que o governo federal, estados e empresas têm desenvolvido, “observando com atenção e sensibilidade os novos hábitos e comportamentos que os consumidores estão apresentando, buscando interpretá-los adequadamente para atendê-los da melhor forma, tudo fruto da experiência vivida com a quarentena”.