Um tradicional programa de muitos paulistanos estará de volta neste fim de semana: percorrer centenas de metros ou até quilômetros a pé para comprar um automóvel usado.
Isso porque, após sete meses de interrupção motivada pela pandemia da Covid-19, será retomado no próximo domingo, 18, o Feirão AutoShow, feira que reúne milhares de veículos e compradores há quase cinco décadas.

Os organizadores, porém, promoveram uma importante mudança para a volta do evento que surgiu em 1972 como Feira Livre do Automóvel e que inspirou encontros semelhantes por quase todo o País desde então.

Depois de anos no estádio do Pacaembu e de quatro décadas no estacionamento do Pavilhão de Exposições do Anhembi, o AutoShow passa a ser realizado no complexo de feiras e eventos Expo Center Norte, também na Zona Norte da Capital.

Dudu Natrielli, CEO do AutoShow, enfatiza que para ser o primeiro evento de grandes proporções a ser reiniciado em São Paulo foram estabelecidos diversos procedimentos sanitários. Os veículos ocuparão vagas alternadas, estarão disponíveis vários pontos de higienização com álcool em gel e haverá medição de temperatura nos portões de acesso, além da exigência do uso obrigatório de máscara.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Mercado de usados ultrapassa números da pré-pandemia

Os organizadores afirmam que antes da pandemia o AutoShow movimentava cerca de R$ 50 milhões semanalmente, apenas nas vendas de veículos usados, e reunia cerca de 3,5 mil veículos particulares e de revendedores. Agora são esperados perto de 2 mil automóveis e veículos comerciais, com a ocupação máxima de 60% da capacidade do local.

“O mercado de carros usados está em alta e tem em São Paulo o grande centro. A volta do Feirão é uma resposta a esta demanda”, diz Natrielli, lembrando que a cada mês mais de 1 milhão de veículos usados são negociados no País.


Foto: Divulgação