Em time que está ganhando não se mexe. A Fiat parece discorda dessa máxima futebolística e vai mexer, sim, em um veículo que só colecionou vitórias desde que chegou às ruas, há cinco anos. A marca italiana da Stellantis confirmou o lançamento da linha 2022 da Toro para o próximo dia 22.

Mais do que a mera mudança do ano-modelo, a picape será rejuvenescida na dianteira, que, como antecipa a silhueta divulgada pela empresa, adotará o novo logotipo Fiat e ganhará alterações nos faróis e para-choque. Por dentro, mudarão vários detalhes do painel e, sobretudo, a central multimídia, maior do que a atual e disposta verticalmente, um solução já adotada nas picapes importadas Ram, outra marca do grupo.

O modelo também evoluirá em tecnologias embarcadas, deve adotar controle de velocidade adaptativo e led nos faróis das versões superiores, dentre outros recursos que começam a aparecer com mais frequência em veículos nacionais — mesmo picapes — com preços acima dos R$ 100 mil, caso do utilitário da Fiat.

Mas a Toro 2022 terá uma novidade ainda mais relevante: será o primeiro veículo da Stellantis a dispor do novo motor flex 1.3 turbo de 185 cavalos. Fabricado em Betim, MG, será adotado em vários outros veículos das demais marcas do grupo. O segundo beneficiado já está confirmado e estará à venda logo a seguir, em maio: o Jeep Compass, produzido em Goiana, PE, assim como a Toro.

Com esse pacote de atrações estéticas, tecnológicas e técnicas, a Fiat quer garantir a folgada dianteira que a Toro vem mantendo no segmento, e ampliando ano após ano. Apesar da divulgação da reformulação da linha, no primeiro trimestre foram emplacadas 17,6 mil unidades, 37,6% do total de picapes grandes vendidas, de acordo com a Fenabrave.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Das marcas mais vendidas, só Fiat, Jeep e Hyundai crescem

→ Com Strada em primeiro lugar, Fiat consolida liderança no ano

É a maior participação da Toro no período e muito à frente do recorde de 31,6% obtido em 2017, primeiro ano completo da Toro no mercado, um patamar mantido em 2019 e 2020.

O poderio da Toro pode ser mensurado também pelas vendas acumuladas desde o seu lançamento: cerca de 288 mil unidades. Nos mesmos cinco anos, o segmento, que reúne outros nove modelos, atingiu 955 mil emplacamentos.

Na prática, portanto, três de cada dez picapes grandes vendidas no Brasil desde 2016 foram Toro.  O modelo é o segundo  comercial leve  mais vendido no mercado interno desde então. Só não ultrapassou a Strada, picape menor, mas também da Fiat, que absolutamente não reclama da ordem da dobradinha.


Foto: Divulgação