Com o compromisso de revelar o novo ciclo de investimentos no primeiro semestre de 2022, a Audi do Brasil anunciou a retomada da produção em São José dos Pinhais, PR, com os inéditos SUVs Q3 e Q3 Sportback, ambos com motor 2.0 e a tração quattro. Os modelos serão lançados em meados do ano que vem e a montadora apresentou nesta terça-feira, 14, o primeiro Q3 montado na fábrica paranaense.

A empresa aguarda o término das negocições com o governo brasileiro quanto à restituição de créditos gerados pelo programa Inovar-Auto, que totalizam R$ 287 milhões considerando os valores devidos à Audi, BMW e Mercedes-Benz, para definir volume de produção e aporte a ser aplicado no País.

Já está definido que a linha terá capacidade para 4 mil unidades/ano e que inicialmente os veículos serão montados em esquema CKD, sem componentes brasileiros. “Volumes baixos no segmento premium não justificam investimentos por parte dos fornecedores locais”, comentou Johannes Roscheck, CEO e presidente da Audi do Brasil.

O executivo, que tinha participado da construção da planta do Paraná há 25 anos e retornou ao Brasil em 2017, se mostrou extremamente feliz com a decisão da matriz quanto à retomada local da produção. Ele admitiu que a tendência era mais para a suspensão definitiva da única fábrica da marca na América do Sul.

 

“Mesmo em um momento desafiador, acreditamos no potencial do País e na credibilidade que a marca ganha na visão dos nossos clientes com a manutenção das operações locais”, destacou Roscheck. Com a produção do Q 3 com motor 2.0 TFSI a gasolina de 231 cv, a empresa deixa de importar o Q3 1.4.

Será também a primeiro vez que a marca fabricará aqui um veículo com a tecnologia da tração quattro. Na avaliação do CEO, a política de produzir veículos de entrada no Brasil não deu certo e a opção agora é ter menos volume, mas com produtos de faixas superiores. Roscheck nãod escartou planos de futuramente produzir veículos eléticos aqui, mas adiantou que não há nada definido por enquanto.

Anúncio

LEIA MAIS

Audi inicia entrega do e-tron S Sportback

Produção de veículos reage, mas é o pior novembro em seis anos

A Audi havia suspendido operações fabris no final do ano passado, quando deixou de produzir o A3. Um ano antes tinha parado de fabricar o Q3 geração anterior. De acordo com a montadora, os novos modelos chegarão no porto de Paranaguá divididos em conjuntos de peças e partes vindos da fábrica de Györ, na Hungria, para a montagem em solo brasileiro.

A fábrica de São José dos Pinhais foi inaugurada em 1999 com a produção da primeiro geração do Audi A3, que se manteve até 2006. Com o Inovar-Auto, em 2012, a Audi decidiu retomar as atividades fabris, anunciando investimetno da ordem de R$ 500 milhões.


Fotos: Divulgação/Audi