Por George Guimarães | george@autoindustria.com.br

Não é nada oficial ainda, mas a Renault pode estar, sim, preparando mais um excelente argumento de venda para seus  automóveis novos e seminovos no Brasil:  um programa de manutenção que contempla a troca de peças e componentes de desgaste natural por um período previamente acordado.

Ao menos assim deixou transparecer parte do comando da montadora, que nesta sexta-feira, 13, apresentou  o programa Renault Manutenção+Fácil  Pró para a linha de veículos comerciais Master. Por ele, o consumidor assegura a troca de quase todos esses itens. Basta optar, na hora da compra do veículo ou até três meses depois dela, por um dos vários planos oferecidos pelo fabricante.

Indagados sobre se esse modelo de serviço não poderia ser adotado também para carros de passeio, Alejandro Botero, vice-presidente comercial da Renault do Brasil, e Alexandre Oliveira, diretor de vendas a empresas, titubearam na resposta para depois assegurar, entre sorrisos nem tão discretos, que a empresa terá novidades pela frente.

 

De qualquer maneira, o serviço para a linha Master, que há quatro anos lidera o segmento, já está disponível na rede de revendas e se trata de avanço e tanto para veículos comerciais leves.

Afinal, peças de desgaste natural são as que mais demandam paradas nas oficinas — ainda que por breve período — e também representam custos inesperados. E pelo Manutenção+Fácil Pró o cliente já tem contratada a troca de qualquer um desses componentes antecipamente a um preço fixo e com mão de obra incluída.

Leia mais

→Renault destaca Brasil em balanço mundial

→Os recordes da Renault no Brasil

→Renault mira participação de 10% do mercado brasileiro

Quase todos os itens que sofrem desgastes pelo uso estão contemplados no programa, que replica aqui modelo de serviço da própria Renault na Europa, onde  a montadora é líder do segmento há  dezesseis anos. As exceções são pneus, alinhamento e balanceamento, produtos e intervenções que dependem muito mais da condição de ruas e estradas de cada região.

“De resto, qualquer item pode ser trocado, sejam pastilhas e discos de freios, palhetas de limpadores de para-brisa, velas, bateria, amortecedores, luzes ou até memos o para-brisa, se ficar comprovado que o problema derivou de torção da carroceria”, ilustra Oliveira, que diz que para isso haverá sempre uma perícia técnica, assim como para qualquer caso previsto na garantia.

“A ideia é que o frotista ou o proprietário do veículo possa se dedicar integralmente ao seu negócio e não se preocupar com a manutenção”, reforça Botero, que lembra que, além de garantir previsibilidade de custos, o programa valoriza o veículo usado no momento da revenda, já que o serviço é transferível para o novo proprietário.

A Renault oferece cinco planos para os Master furgão, minibus e chassi-cabine. O preço é definido por quilômetro rodado ou por tempo:

  • 40 mil Km ou 12 meses: R$ 0,15 por Km.
  • 60 mil Km ou 24 meses: R$ 0,14 por Km.
  • 80 mil km ou 24 meses: R$ 0,16 por Km.
  • 80 mil km ou 36 meses: R$ 0,17 por Km.
  • 100 mil km ou 36 meses: R$ 0,17 por Km.

O cliente pode adquirir o plano e fazer as manutenções preventivas e corretivas em qualquer uma das cerca de três centenas de concessionárias da marca espalhadas pelo País. Os veículos comerciais, contudo, têm também 57  pontos da rede Pro+, distribuídos por vinte estados e dedicados ao atendimento desses produtos.


Fotos: Divulgação/Renault