Por George Guimarães

Após a tentativa com o T140 em 2012, frustrada pela sobretaxa do Inovar-Auto, que inviabilizou as vendas além das 500 unidades previamente encomendadas à China, a JAC Motors inicia nesta quarta-feira, 11, sua segunda investida no segmento de caminhões leves. Desta vez com o V260, modelo com 3,2 mil kq de PBT — 1,5 mil de carga útil —,  que se enquadra na categoria dos Veículos Urbanos de Carga, os conhecidos VUCs.

Sérgio Habib, presidente da empresa e do Grupo SHC,  sem ter que arcar com o imposto adicional a partir de 2018, projeta vendas de 600 unidades anuais do modelo, já disponível em rede de 22 concessionárias em versão única, sem opcionais, por R$ 69.990. Também importado da China, o caminhão leve tem motor turbo diesel Yunnei, marca local, de 103 cv e torque 260 Nm a 1.800 rpm — daí a denominação V260.

A JAC foi fundada em 1964 exatamente para produzir veículos de carga. No ano passado fabricou 300 mil caminhões de 3,5 a 50 toneladas e é o maior exportador chinês do segmento. Só de modelos entre 3,5 e 15 toneladas venderá 154 mil unidades este ano, três vezes mais do que todo o mercado brasileiro de caminhões. O mercado interno chinês absorve anualmente 900 mil caminhões acima de 3,5 toneladas.

Habib: preço é fator preponderante no segmento.

É toda essa experiência em veículos de carga, mais um consumo de diesel mensurado como 7% menor do que o dos dois principais concorrentes e 3 anos de garantia ou 100 mil quilômetros rodados que os vendedores argumentarão aos clientes quando indagados sobre a confiabilidade de um produto dedicado ao trabalho e que ainda não dispõe de tradição no mercado brasileiro.

Anúncio

Outro fator, diz a importadora, é o baixo custo de manutenção. A primeira revisão é gratuita e a segunda, aos 10 mil km, tem preço fixado em R$ 460,00. A empresa possui Centro de Distribuição de Peças, que, afirma Habib, é capaz de atender a 95% das demandas em até 24 horas em um raio de 600 km da Grande SP.

Mas o maior atrativo, reconhece o presidente da JAC, é o preço. “Este é um segmento que compra sobretudo preço, não adianta negar ”, diz o executivo, que aponta o nacional Hyundai HR (R$ 73.720) e o importado Uruguai Kia Bongo 2500 (R$ 73.990) como concorrentes mais próximos do novo modelo.

Câmera frontal — O V260 tem motor menos potente de que os modelos Hyundai e Kia, mas em compensação, enfatiza a JAC, traz uma lista de conteúdos de série bem mais ampla. A começar pelo ar-condicionado, recurso que agradará em especial aos motoristas de regiões  mais quentes do País. “A gente sabe que muitas vezes quem dirigi esses veículos não é o proprietário, que não desembolsaria um valor extra para ter esse conforto.”

Mas o modelo traz ainda acionamento elétricos dos vidros e travas das portas, com travamento automático a partir de 15 km/hdas , rádio com entrada USB e a inédita no segmento câmera frontal, que, por meio de aplicativo no celular, mostra tudo que se passa em um deslocamento. O dispositivo ainda grava e armazena as últimas 8 horas de viagens.


Fotos: Arquivo/ Divulgação/JAC