Ponto na Zona Oeste de São Paulo: olhares ainda curiosos.

Ainda são poucos os veículos elétricos e plug-ins que rodam pelo Brasil,  país que, mesmo em forte decréscimo nos últimos três anos,  consome anualmente mais de 2 milhões de automóveis e comerciais leves. Um quadro bem diferente de mercados mais maduros, onde a presença desses produtos já é notável e, pelo anunciado ritmo de lançamentos, tende a crescer  de forma significativa nas próximas duas décadas. 

Dois óbvios empecilhos imediatos para que o brasileiro compre mais automóveis elétricos são a oferta restritíssima de modelos e os altos valores pedidos por eles.  Um terceiro é a falta de ampla infraestrutura para recarga.

Ao menos neste último caso já  se nota algum movimento para contorná-lo. A BMW, que  negociou no mercado interno cerca de duzentas unidades dos modelos I3 e I8, além de sua rede de concessionárias, tem se valido de acordos com shoppings e até com supermercados para aumentar o número de pontos de recarga gratuita. Já são 67 em operação em todo o Brasil.

Anúncio

No transcorrer do segundo semestre do  ano passado, porém, a montadora avançou um pouco mais nesse propósito e  firmou parceria com a rede Ipiranga para ampliar a oferta de pontos de recarga públicos. Os dois grupos planejam  dispor de ao menos cinquenta BMW i Wallbox Pro,  como são conhecidos os totens  de recarga, em pelo menos cinco capitais.

Em uma rápida parada, é possível ter carga para  até 25 quilômetros, autonomia satisfatória para trajetos urbanos.  Para carregar integralmente a bateria do esportivo híbrido i8  são necessárias 2h30, enquanto as baterias do  i3 exigem  3h45, o que permite rodar até 300 quilômetros com o uso do extensor de carga, o motor responsável por manter o nível de carga das baterias.

Mas mais do que garantir o abastecimento de uma frota ainda diminuta, as tomadas em postos de combustíveis chamam a atenção dos proprietários dos veículos convencionais, com certeza o maior interesse da BMW neste período, digamos, seminal dos veículos elétricos no Brasil. (George Guimarães)


Foto: AutoIndústria