Por Alzira Rodrigues

Após terem despencado nos últimos três anos, as importações de veículos poderão crescer mais de 50% este ano se confirmada a projeção da Anfavea de uma participação de 15% dos veículos vindos de fora no mercado nacional. Em 2017 essa fatia foi de 10,9%, com total de 244,1 mil importados emplacados no ano.

As expectativas positivas em relação aos importados decorrem do fim do Inovar-Auto em 31 de dezembro. A partir deste mês de janeiro todos os importados passam a pagar o mesmo IPI dos carros nacionais, ou seja, não há mais a penalidade de 30 pontos adicionais para esses veículos, assim como também foi extinto o sistema de cotas.

O próprio presidente da Anfavea, Antonio Megale, admitiu em entrevista coletiva na sexta-feira, 5, que diante da nova realidade do mercado a participação dos importados deve saltar de 10% para 15% já neste ano. Como a projeção da Anfavea é a de um mercado interno de 2,5 milhões de veículos, 15% representariam a venda no ano de 375 mil unidades importadas. Ou seja, no comparativo com as 244,1 mil unidades do ano passado haveria um expressivo crescimento de 53%.

No comparativo de 2017 com 2016, quando foram comercializadas 273,5 mil unidades vindas de fora, as importações caíram 10,7%. A venda de carros importados no Brasil chegou a 617 mil unidades em 2014, volume que baixou para 414,3 mil em 2015 e não parou de cair até o ano passado.

Anúncio

Os números da Anfavea contemplam todo o universo de veículos importados, incluindo os vindos de países com os quais o Brasil mantém acordo bilateral, como Argentina e México, que são os principais exportadores de carros para cá. E os negócios com a Argentina devem crescer este ano em função do de novos modelos a serem produzidos lá e que já têm venda garantida no Brasil, como é o caso do Fiat Cronos, que chega por aqui em fevereiro.

A Abeifa, que tem dezessete marcas afiliadas, incluindo algumas que só importam e outras que também produzem localmente, divulgou nesta semana o balanço de 2017 a as projeções para 2018.

Considerando apenas os seus associados, o total de emplacamentos atingiu 29.751 unidades importadas, volume 17% menor em relação ao de 2016, de 35.852 veículos. Para 2018, a Abeifa estima acumular vendas de 40 mil, o que representaria uma expansão de 35% sobre o resultado de 2017.


Foto: Divulgação/Fiat