Por Redação| autoindustria@autoindustria.com.br

De olho no veículo do futuro, mais leve e eficiente, a Gerdau está lançando no mercado brasileiro três novas famílias de aços especiais – GG Max, GG Tech e GG Custom. As diversas possibilidades de aplicações dos novos produtos, também destinados à indústria eólica, foram apresentados na quinta-feira, 17, em evento realizado em São Paulo com a participação de empresas parceiras e institutos de pesquisa.

O diretor de operação de Aços Especiais Brasil da Gerdau, Fladimir Gauto, diz que a empresa está se antecipando às necessidades do mercado e inovando para atender os veículos do futuro: “Estamos pensando na evolução da mobilidade urbana e na geração de energia a partir de fontes alternativas, como a eólica”.

O momento, sem dúvida, é bastante propício para investimentos em novas matérias-primas. Além do constante movimento do setor automotivo em busca de redução de peso, eficiência energética e maior durabilidade dos veículos, o mercado em alta no País contribui para o aumento das vendas dos seus fornecedores.

Segundo Gauto, as usinas produtoras de aços especiais da Gerdau no Brasil estão plenamente capacitadas para atender a evolução de demanda futura, “com produtos e serviços inovadores e de qualidade superior”.

A empresa possui três usinas produtoras de aços especiais no País: Mogi das Cruzes (SP), Pindamonhangaba (SP) e Charqueadas (RS).

Anúncio

Com relação aos novos produtos, o executivo destaca que a família GG Max oferece quatro soluções específicas para a produção de molas, rolamentos e engrenagens, tanto de veículos leves como de pesados.

A linha GG Max Cleanity, por exemplo, traz vantagens específicas para rolamentos. São aços com características que proporcionam a redução de peso e favorecem geometrias mais complexas, o que garante longevidade superior a produtos similares.

Já a GG Max Paraboler oferece soluções para molas parabólicas, usadas em suspensões de caminhões.

Na família GG Tech, tem a linha GG Echomachining, que são aços com adição de bismuto, liga considerada mais ecológica e não contaminante, gerando menor desgaste das ferramentas

Atenta às necessidades do mercado de energia eólica no país, a Gerdau também apresentou a linha GG Tech Induheat, composta por aços de maior homogeneidade e tecnologia no tratamento térmico. A sua principal aplicação é destinada a fixadores eólicos que exigem peças com requisitos de resistência a tração e impactos.

Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica, ABEEólica, a previsão de capacidade instalada de parques eólicos deve chegar a mais de 14 GW em 2018, resultado quase 10% superior ao gerado no ano passado, de 12,77 GW.


Fotos: Divulgação/Gerdau