Por Alzira Rodrigues | alzira@autoindustria.com.br

Apesar da retomada do mercado interno em julho, com venda mensal recorde no ano, a produção da indústria automobilística recuou 4,1% no mês passado sobre o anterior. O resultado é consequência da queda nas exportações, principalmente para Argentina e México, que vivem momento de retração interna.

A produção em julho totalizou 245,8 mil veículos, ante os 256,3 mil fabricados em junho. Não houve a reação esperada pela Anfavea um mês antes, que previa crescimento em julho, mas mesmo assim o desempenho é considerado relevante.

“É o melhor julho em produção desde 2014”, comemorou o presidente da entidade, Antonio Megale.

LEIA MAIS

Produção de veículos reage em junho

O problema, efetivamente, são as exportações. No comparativo de julho com junho ela caíram 20,9%, baixando de 64,9 mil para 51,4 mil. A queda em relação às 65,6 mil unidades exportadas no mesmo mês do ano passado é de 21,7%.

Pela primeira vez no ano o resultado acumulado das vendas para o exterior é negativo em relação a 2017. Foram enviadas para outros países 430,4 mil veículos nos primeiros sete meses de 2018, número 2,8% abaixo dos 442,5 mil do ano passado.

Anúncio

Já a produção continua com resultado positivo no acumulado do ano. Foram fabricadas 1,68 milhão de unidades, expansão de 13% contra total de1,48 milhão no mesmo período do ano passado. Segundo o presidente da Anfavea, a entidade decidiu manter suas projeções para o ano, uma vez que já havia feito revisões por causa dos problemas verificados nos mercados argentino e mexicano.

“Acreditamos ainda ser possível repetir o volume de vendas externas do ano passado, em torno de 766 mil unidades. Mas estamos atentos”.

Em valor, as exportações ainda indicam desempenho favorável no acumulado do ano. A receita de janeiro a julho atingiu US$ 9,87 bilhões, alta de 12% sobre os US$ 8,8 bilhões do mesmo período de 2017. Segundo Megale, o crescimento reflete o mix das vendas externas. A venda de automóveis para fora cai, enquanto os negócios relativos a máquinas agrícolas e caminhões ainda crescem no acumulado do ano.

Em julho, no entanto, houve retração também com relação ao valor. A indústria automobilística exportou US$ 1,23 bilhão, 13,1% a menos do que o total de US$ 1,42 bilhão exportado em junho.


Foto: Divulgação/VW