O Grupo ZF escolheu o Brasil como sede do seu centro de competência global na área de eixos agrícolas. Baseado em Sorocaba, SP, o novo centro será responsável por coordenar o desenvolvimento de tais componentes para todos os mercados do mundo atendidos pela companhia e terá papel estratégico dentro do grupo.

Stefan Prebeck, diretor global de engenharia da unidade de negócios fora-de-estrada da ZF, diz que o foco principal dos desenvolvimentos serão os grandes mercados da América Latina, Oriente e Europa, onde há forte demanda por esse tipo de produto. Para isso, foram criados centros de engenharia correspondentes em países como China e Índia, cuja operação se iniciou em abril deste ano.

“Os projetos internacionais precisam de colaboração próxima com as equipes de vendas e produção locais, que muitas vezes podem não estar no Brasil”, explica Prebeck.

O gerente da unidade de negócios para tecnologia industrial da ZF América do Sul, Paulo Vecchia, será o coordenador do novo centro. “Serão feitos novos investimentos e iremos contratar engenheiros e equipes de campo para acelerar o tempo de desenvolvimento de novos produtos, assim como impor um novo ritmo de velocidade de resposta aos clientes”, comentou o executivo.

O mercado de eixos dianteiros tracionados no mundo gira atualmente em torno de 500 mil unidades, considerando montadoras que constroem o seu próprio eixo. O mercado brasileiro representa cerca de 11% deste total. “O objetivo principal é o de ampliar o portfólio de soluções para a área off road em todo o mundo, onde há constante expansão e modernização, e atender as máquinas destinadas a todos os tipos de operação no campo e nos canteiros de obras”, explicou Vecchia.

Anúncio

Segundo ele, a eficiência, o conforto e a segurança poderão ser potencializados nos novos desenvolvimentos a partir do momento que os sistemas inteligentes dos segmentos de carros de passeio e veículos comerciais forem integrados nas aplicações fora-de-estrada: “A ZF possui competência para construir projetos baseados em eletrificação, integrar sensores, eletrônica inteligente e sistemas mecatrônicos e fazer com que os veículos possam ver, pensar e agir. Em breve essas tecnologias avançadas da marca estarão presentes no campo”.

A ZF celebrou no ano passado a marca de 500 mil eixos produzidos em sua fábrica de Sorocaba. A produção foi iniciada em 1985, ano em que a média mensal de produção alcançada foi de 148 equipamentos. O recorde em um único mês aconteceu em outubro de 2016, quando Sorocaba fabricou 3.290 eixos. O maior volume de produção anual foi em 2010, com 30.243 unidades.

Na planta são produzidos desde eixos dianteiros para tratores e máquinas agrícolas com potências de 75 a 240 cv, até eixos dianteiros e traseiros para retroescavadeiras utilizadas no segmento de construção.


Foto: Divulgação/ZF