A Citroën do Brasil comemora o fato de ter sido a primeira montadora a vender um automóvel em todo o mundo por meio de um chatbot, assistente virtual que simula uma conversa humana. O cliente é brasileiro e, após obter informações inciais com Jean, como foi batizado o robô, fez a pré-reserva de um C4 Cactus, o mais recente lançamento da marca aqui.

Segundo a empresa, o primeiro contato com Jean foi realizado pelo Facebook Messenger e a transação, concluída no próprio site, após pagamento de um sinal.

Específico para o lançamento do utilitário esportivo fabricado em Porto Real (RJ), Jean foi desenvolvido pela operação brasileira da marca francesa em parceria com empresa de tecnologia Smarters e a BETC/Havas. A ideia de ter o recurso é, segunda a Citroën, garantir ao consumidor atendimento contínuo de um “consultor de vendas” qualquer horário ou dia.

A ferramenta utiliza inteligência artificial para responder questões relacionadas a diversos aspectos técnicos, com sobre design, tecnologia, conforto, segurança e até localização de concessionárias e programas de test-drives,pro exemplo.

Jean pode ainda, via Messenger, enviar respostas customizadas para cada perfil de usuário e – cada vez mais importante para em conexões virtuais – conversar em linguagem natural, com uma pessoa faria, por meio da tecnologia de compreensão de textos NLP – Natural Language Processing.

Anúncio

LEIA MAIS

→Cactus já vende mais que todo o restante da linha Citroën

→Citroën projeta vender 60% a mais no mundo em cinco anos

“É uma ferramenta que trata cada cliente como único, mesmo em uma grande escala de demanda”, afirma Alessandra Souza, diretora de Desenvolvimento do Negócio Peugeot/Citroën, que enfatiza que, a cada interação, o sistema amplia seu repertório e apreende diferenças e sutilezas da comunicação humana, incluindo emojis, expressões, tons, emoções, regionalismos, abreviações, coloquialismos e até erros de ortográficos.

Na interpretação da executiva, esta nova formas de relacionamento com o cliente influenciará também a relação com as concessionárias. “Os serviços de pós-venda que elas oferecem é que serão o grande diferencial competitivo”, aposta.


Foto: Pixabay