Cem por cento brasileira, a Dini Têxtil, fornecedora de tecidos para a indústria automotiva, investe continuamente em pesquisa para se manter competitiva num setor dominado por grandes multinacionais. A empresa desenvolve atualmente produtos minerais para melhorar a característica físico-química dos fios e, consequentemente dos tecidos, conforme revela seu presidente, Claudio Dini.

“Para nos mantermos fortes em um mercado altamente competitivo, com domínio de grupos multinacionais, estamos sempre procurando inovar na área tecnológica. Como as empresas trazem muita coisa de fora, precisamos continuamente investir em novos produtos”, comenta o empresário.

Nesse sentido, a Dini firmou parcerias com as universidades de Manchester, nos Estados Unidos, Mackenzie, em São Paulo, e o Senai Cetiqt -Centro de Tenologia da Industria Química Texttil.

Dona de 5% do mercado de tecidos para a indústria automobilística e com capacidade produtiva que atinge 10 milhões de m²/ano, a Dini é a única ganhadora, em todo setor têxtil, da Medalha do Mérito em Inovação da Abit, Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção. A empresa foi contemplada na edição 2018 e recebeu a medalha na quinta-feira, 6.

Anúncio

Apesar de ter capital 100% brasileiro, a Dini Têxtil faz parte do mercado global por meio de parcerias na Europa e Ásia. Suas atividades começaram em 1991, a princípio com distribuição, importação e laminação de tecidos. Em 1997 deu início ao processo de produção, operando atualmente em Ferraz de Vasconcelos, SP, em terreno de 60 mil m², dos quais 23 mil m² de área construída. Conta com 310 funcionários.

Da produção atual, que utiliza fios sintéticos com predominância do poliéster, 50% destinam-se ao setor automobilístico e os outros 50% para outras indústrias, como  a de calçados esportivos, segurança, abrasivos e filtros, e exportação. Seus produtos são usados em bancos, tetos, cortinas e cadeirinhas para bebês, tanto em veículos leves como pesados.

Operando de forma totalmente verticalizada, a fabricante de Ferraz de Vasconcelos produz desde o fio e o tecido até produtos confeccionados como capas para os bancos dos veículos e cortinas para caminhões.


Foto: Divulgação/Dini