No ano passado, as vendas de automóveis na Europa somaram 15,1 milhões de unidades, leve alta de 0,1% em relação ao mesmo patamar obtido em 2017. De acordo com a Acea, a associação que representa os fabricantes instalados no continente, ainda que tenha registrado um crescimento muito modesto, o resultado marca o quinto ano consecutivo de expansão do mercado europeu.

O mesmo, no entanto, no pode ser atribuído às vendas mensais. Em dezembro de 2018, os licenciamentos de veículos de passeio alcançaram 998,5 mil unidades, em queda 8,4% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. O resultado marca uma sequência de baixas desde setembro, quando começou a vigorar os novos procedimentos de teste de consumo e emissão de veículos leves, o WTLP (do inglês, Worldwide Harmonised Light Vehicles Test Procedure). Com a sua obrigatoriedade, além de ter provocado antecipações de compras em agosto, muitos modelos ainda não foram homologados de acordo com os novos parâmetros.

Dos cincos maiores mercados europeus, somente França e Espanha terminaram 2018 com alta na demanda por carros. A primeira registrou crescimento de 3%, para 2,1 milhões de unidades e, a segundo, evolução de 7%, acumulando 1,3 milhão de automóvel. A maior praça, a Alemanha, computou um leve recuo de 0,2% nas vendas, com 3,4 milhões de unidades negociadas, o Reino Unido encerrou o ano passado com 2,3 milhões de veículos de passeio vendidos, declínio de 6,8%, e os emplacamento na Itália caíram 3,1%, para 1,9 milhão de emplacamentos.

Anúncio

O Grupo Volkswagen liderou as vendas na União Europeia em 2018 com 3,6 milhões de unidades vendidas, volume que representou pequena alta de 0,9% sobre o apurado em 2017, de 3,5 milhões. Abaixo da corporação alemã, o Grupo PSA foi o que mais cresceu em vendas no ano passado na Europa, alta de 32,8%, para 2,4 milhões de automóveis licenciados.  O Grupo Renault, o terceiro no pódio das fabricantes que mais venderam, registrou 1,6 milhão de unidades emplacadas, leve expansão de 0,8%.


Foto: Pixabay