As chuvas que caíram sobre as cidades do ABC, Grande São Paulo, entre a noite do domingo, 10 de fevereiro, e a madrugada da segunda-feira seguinte afetaram também a produção de algumas empresas na região, dentre elas a Mercedes-Benz.

A água tomou conta de algumas áreas da linha de montagem localizada às margens da Rodovia Anchieta, em São Bernardo do Campo, onde são produzidos caminhões e ônibus. A produção, interrompida rotineiramente na sexta-feira, não foi retomada.

A Mercedes-Benz não revela quantos veículos deixaram de ser fabricados na segunda-feira: alega ser informação estratégica. A empresa diz apenas que o esforço agora é para retomar a produção o quanto antes. Depois de muito tempo, a planta passou a trabalhar em dois turnos em janeiro.

“As áreas de manutenção, segurança e logística estão trabalhando para realizar os procedimentos de limpeza e manutenções necessárias para que a fábrica volte a operar o mais rápido possível e com segurança para todos os colaboradores”, afirmou em nota, ainda no fim da tarde da segunda-feira.

Anúncio

Automóveis da frota da empresa também foram atingidos pelo alagamento que tomou conta do estacionamento da fábrica. A Mercedes-Benz, contudo, diz não ter um balanço ainda dos prejuízos.

No fim de fevereiro, a empresa inaugurou uma nova linha de cabines em São Bernardo do Campo, com conceitos da Indústria 4.0.  O projeto consumiu R$ 100 milhões, dos R$ 2,4 bilhões programados par o período entre 2018 a 2022.

LEIA MAIS

→Mercedes-Benz inicia segundo turno em casa nova

→Mercedes-Benz: continuidade do crescimento a toque de caixa.


Foto: Divulgação