A Nissan deve anunciar, durante seu balanço financeiro nesta quinta-feira (25), a eliminação de cerca de 10 mil postos de trabalho em particular nas operaçõe  fora do Japão, informam jornais japoneses. A análise é de que as demissões devem afetar particularmente as fábricas de maior ociosidade.

Se confirmados, os cortes representarão mais do que o dobro do que a empresa sinalizara no início do ano para melhorar seu desempenho global. Junto com renovação de modelos e um novo impulso em seus negócios no mercado norte-americano, a Nissan estimava demitir 4,8 mil trabalhadores.

A expectativa é de que a montadora divulgue um dos seus mais fracos desempenhos trimestrais desde a crise financeira global de 2008. O lucro operacional da montadora em 2018 caiu para o menor em uma década.

A Nissan conta com cerca de 139 mil funcionários em todo o mundo. Perto de 2,4 mil deles na unidade de Resende (RJ), inaugurada há cinco anos. Em 2018 foram fabricado 104 mil veículos no sul-fluminense — 24 mil para exportação — , recorde histórico da empresa no Brasil.

LEIA MAIS

→ Elétrico Nissan Leaf começa a ser vendido por R$ 195 mil

→ Nissan Kicks: 100 mil unidades produzidas no País.

 


Foto: Divulgação/Nissan