A Volkswagen dá mais um passo em sua ofensiva de crescimento na América Latina com o início das exportações do Virtus para o México. O modelo, produzido na fábrica de São Bernardo do Campo (SP), chega por lá em versão Comfortline 1.6 com transmissão automática ou manual.

Com o novo mercado, o sedã passa a ter dez destinos a partir do Brasil desde que foi lançado, em janeiro de 2018. Está presente também na Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Paraguai, Uruguai, Curaçau e Costa Rica.

A iniciativa segue planos definidos pela montadora para produto desde o desenvolvimento. O Virtus foi o primeiro sedã a ser construído sobre a plataforma MQB para ser ofertado, inicialmente, aos mercados latino americanos. E diferentemente até de seu irmão Polo, o sedã não foi sequer cogitado para ser produzido na Europa.

LEIA MAIS

→Virtus é o segundo movimento da ofensiva VW na América Latina

→Espaço interno e tecnologias são os destaques do Volkswagen Virtus

→Volkswagen Virtus atropela concorrentes e dobra segmento

Anúncio

Segundo a fabricante, sem citar outros representantes, o Virtus já se apresenta como o terceiro modelo mais exportado da marca em 2019 e um dos que simbolizam a estratégia da empresa definida como Nova Volkswagen. “O Virtus foi totalmente desenvolvido no Brasil e está contribuindo para reforçar ainda mais a relevância da Volkswagen em toda a América Latina”, reforça em nota Pablo Di Si, presidente e CEO da montadora para a toda a região.

Ainda de acordo a VW, o Virtus acumula mais de 64 mil unidades negociadas desde o lançamento, das quais 17,3 mil foram exportadas. A empresa se apresenta como a maior exportadora de veículos no Brasil, com mais de 3,9 milhões de unidades embarcadas para 147 países em 2019. Pelas suas contas, respondeu por 25% das exportações de automóveis e comerciais leves a partir do Brasil no primeiro semestre do ano.

Por aqui, o Virtus é oferecido nas versões 1.6 MSI, Comfortline 200TSI e Highline 200TSI. Pelos critérios da Fenabrave, o modelo lidera a categoria de sedã compactos com 25,7 mil unidades vendidas no acumulado do ano até julho, volume que representou 42% de participação em mercado de 67,1 mil licenciamentos no período.


Foto: Volkswagen/Divulgação