O que vinha sendo ventilado isoladamente na imprensa internacional pela taiwanesa Hon Hai nos últimos dias, foi confirmado nesta sexta-feira (17) por meio de nota oficial da própria FCA: as duas empresas encaminham negociações para o desenvolvimento e produção de veículos elétricos.

Caso as tratativas avancem positivamente,  uma joint venture será criada e estabelecida na China. A produção inicial, afirma a FCA, deverá atender apenas o mercado local, o maior do mundo e onde a participação da montadora é apenas marginal. Exportações ficariam para uma segunda etapa.

A futura parceria poderia fabricar, por exemplo, o Fiat Centoventi, modelo apresentado como conceito no Salão de Genebra no ano passado.

“A cooperação proposta reúne capacidades de dois líderes globais em todo o espectro do design de automóveis, engenharia e manufatura e tecnologia de software móvel”, enfatiza a nota da montadora, que revela ainda que a cooperação englobará ainda projetos de Iov, internet de veículos.

A Hon Hai é bem menos conhecida no ocidente do que sua controlada Foxconn, produtora dos celulares Iphone, da Apple, e também a maior fabricante de componentes eletrônicos do mundo.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Mercado chinês encolhe 8% em 2019

→ Joint venture da BYD com a Toyota será sediada na China

Seu presidente, Young Li, antecipara à imprensa que a empresa será responsável pelo design, componentes e gerenciamento da cadeia de suprimentos e que não participará da montagem dos automóveis elétricos da FCA.

Liu acredita que, no longo prazo, os negócios automotivos possam responder por algo em torno de 10% das vendas globais do grupo, que não obteve sucesso em tentativas anteriores de diversificação de portfólio de produtos e ainda hoje tem perto de metade de sua receita advinda do fornecimento para a Apple.


 

oto: Divulgação/FCA