O resultado operacional ajustado do Groupe PSA ficou em € 6,3 bilhões no ano passado, aumento de 11,2%, e chegou a 8,5%, recorde. No caso específico do setor automotivo, o resultado operacional atingiu € 5 bilhões, 12,8% maior.

“Esse forte nível de rentabilidade de 8,5% foi conseguido graças a um mix de produtos positivo e a reduções de custos adicionais, apesar dos efeitos negativos da taxa de câmbio e dos aumentos de custos de matérias-primas”, disse a empresa em comunicado.

O Groupe PSA obteve lucro líquido de € 3,2 bilhões no ano passado e o resultado é recorde para o conglomerado que reúne fábrica de veículos e fornecedores de serviços e componentes.

O faturamento mundial cresceu 1% sobre o ano anterior e bateu em € 74,7 bilhões. A divisão automotiva, a maior do grupo, faturou € 58,9 bilhões, 0,7% a mais. Segundo a PSA, muito em função do mix de produtos e aos preços, que compensaram a queda de vendas a parceiros, o impacto negativo das taxas de câmbio.

Anúncio

“Baseados em nosso modelo de negócios e em um espírito combativo que provou ser eficiente, estamos ansiosos para ingressar em uma nova era com a fusão projetada com a FCA”, disse Carlos Tavares, presidente mundial do Groupe PSA,  já nomeado também CEO da futura empresa global que reunirá 14 marcas de veículos e que deve estar consolidada em mais um ano.

Para 2020, o grupo prevê queda de 3% no mercado automotivo da Europa e de 2% na Rússia, além de estabilidade na América Latina.

LEIA MAIS

→ Vendas mundiais da PSA caíram 10% no último ano sem a FCA

→ Peugeot anuncia picape média para a América Latina


Foto: Divulgação