A BYD  Equador e a empresa de transporte Transcarsell assinaram no mês passado contrato que envolve a aquisição da primeira frota de caminhões 100% elétricos para aquele país. De um lote total de 20 unidades, a primeira será entregue em agosto e as restantes no ano que vem.

Os caminhões, segundo a BYD  serão utilizados no transporte de grandes contêineres multimodais. Os modelos 100% elétrico da marca são equipados com baterias de fosfato ferro lítio, com vida útil de 15 anos e uma autonomia de 150 quilômetros com uma única carga.

LEIA MAIS

BYD acumula venda de 1.035 ônibus elétricos na América Latina

FCA terá elétricos e híbridos no Brasil a partir do fim do ano

No caso dos veículos que serão envidados ao Equador, eles possuem eixo de transmissão integrado e um sistema de controle único desenvolvido pela BYD. O sistema de energia eletro-hidráulico facilita a direção e garante uma capacidade de carga de 31,5 toneladas.

“Com a chegada desses caminhões ao Equador, estamos intensificando nossos esforços para ajudar o país em sua transição para a mobilidade elétrica e um futuro mais verde”, comentou Jorge Burbano, gerente nacional da BYD Equador após a fechar o contrato com a empresa de transportes.

Anúncio

Além da operação silenciosa e da emissão zero poluentes, o caminhão garante baixos custos operacionais, sendo equipado com um sistema de controle de cruzeiro.

“Estou interessado em continuar a crescer com a minha empresa, refletindo meu compromisso com o país, nossos trabalhadores e nossos clientes”, destacou Lenin Garzon, gerente geral da Transcarsell após a assinatura do documento. “Quero que minha empresa seja a primeira do tipo a usar caminhões que não só me permitam economizar, mas também ajudem a reduzir as emissões de carbono em nosso setor”.

A BYD já vendeu 20 ônibus elétricos para o Equador e 37 táxis elétricos. Segundo a empresa, o mercado latino-americano encontra-se em fase de rápida expansão do uso de seus produtos, atualmente disponíveis no Chile, Brasil, Colômbia, Argentina, Peru e Uruguai, além do Equador.


Foto: Divulgação/Byd