O ano de 2020 ainda esta na metade e a indústria automobilística mundial já recebeu uma má notícia para 2021: o tradicionalíssimo Salão de Genebra, da Suíça, previsto para o primeiro trimestre, foi cancelado oficialmente nesta segunda-feira, 29.

Os organizadores alegaram para a decisão a crise financeira e as incertezas geradas pela pandemia do coronavírus. Em nota, afirmaram que “desistiram de organizar o evento por razões óbvias” e que, em consulta aos expositores, a maioria indicou que, “provavelmente”, não participaria da edição de 2021

A edição deste ano foi cancelada dias antes antes da abertura ao público, em 5 de março, com toda a estrutura já montada. A maioria dos veículos que seria apresentada  foi exibida por meio de coletivas via internet organizadas já fora do Palexpo, o centro de exposições.

O anúncio de cancelamento de mais uma edição de um salão internacional joga ainda mais sombras sobre esse tipo de evento, que vem sofrendo concorrência de feiras de tecnologias, da própria internet e, desde o início do ano, também com as restrições que buscam evitar aglomeraçõesem todo o mundo.

Anúncio

A mostra suíça reúne, em média, 600 mil visitantes em dez dias. É uma das mais longevas exibições automobilísticas — edição de 2020 seria a 90ª desde a sua criação, em 1905, e, com o cancelamento anunciado, na melhor das hipóteses, poderá ser realizada novamente somente em 2022.

“O setor automotivo está passando por fase difícil e os expositores precisam de tempo para se recuperar dos efeitos da pandemia”, reconheram os organizadores, que também admitiram planos de vender os ativos do salão para o grupo proprietário do Palexpo.


Foto: Divulgação