O desempenho das vendas de pneus no mês passado sinalizou uma recuperação em relação às fortes quedas registradas nos meses anteriores, impulsionado especialmente pelo mercado de reposição.

De acordo com os dados consolidados pela Anip, associação que representa os fabricantes, divulgados na terça-feira, 11, a rede varejista negociou em julho 3,67 milhões de pneus, alta de 8,7% sobre o mesmo mês do ano passado, de 3,38 milhões. Na mesma base de comparação, o fornecimento para as montadoras, no entanto, foi 28,3% menor, com apenas 983,6 mil unidades entregues ante 1,37 milhão de pneus computados um ano antes.

Com a reposição e os negócios OEM, as vendas totais em julho somaram 4,65 milhões de unidades, volume 2% inferior ao anotado há um ano, de 4,75 milhões. No acumulado do ano, porém, o resultado ainda se mantém em declínio acentuado de 26% com 25,1 milhões de pneus vendidos contra 33,9 milhões entregues nos primeiros sete meses de 2019.

Para o presidente executivo da Anip, Klaus Curt Müller, os números apresentaram uma boa recuperação do setor, mas ainda distante de se poder definir como retomada.

“É importante observar os próximos meses no sentido de se verificar a sustentação deste resultado”, avalia em nota. “Tivemos os meses anteriores de grande baixa, o que ainda nos impede de alcançar neste ano os números dos anos anteriores.”

Transporte de carga e motocicletas puxam as vendas na reposição

As vendas no varejo cresceram impulsionadas demanda pelo transporte comercial e de motocicletas. Em julho, o mercado absorveu 685,3 mil, em alta de 14,3% sobre o mesmo mês de 2019. Do total, a reposição respondeu por mais de 81%, com 559,5 mil unidades, uma expansão de 29,2% em relação ao desempeno de um ano atrás. As entregas para as montadoras somaram 125,8 mil pneus, volume 24,3% menor.

Anúncio

No segmento de duas rodas, o varejo vendeu no mês passado 938 mil pneus para motocicletas, o que representou uma expansão de 29,1% em relação a julho de 2019.

É o segmento de pneus para veículos de passeio que ainda contabiliza quedas significativas. No mês passado, as vendas de pneus para automóveis totalizaram 2,37 milhões de unidades, declínio de 12% em relação às 2,69 milhões registradas em julho de 2019. Do volume vendido, 1,81 milhão seguiram para a reposição, baixa de 3,8%, e 624,8 mil para as montadoras, retração de 28,9%.

Superávit na balança comercial

O setor de pneumático encerra os sete primeiros meses com um superávit de US$ 91 milhões na balança comercial, apesar das quedas da ordem de 34% tanto nas importações quanto nas exportações. No período as fabricantes de pneus compraram de fora US$ 359,7 milhões e venderam para os mercados externos US$ 450,8 milhões.

Em volumes, as importações somaram de janeiro a julho perto de 11 milhões de pneus, em queda de 19,5% na comparação com o mesmo acumulado de 2019, enquanto as exportações alcançaram 5,3 milhões de unidades, volume 39,5% menor na mesma base de comparação.

LEIA MAIS

→Vendas de pneus registram queda de 31% em junho


Foto: E Bouman/Pixabay