A indústria brasileira de pneus praticamente repetiu no mês passado o resultado de vendas internas que alcançou em agosto de 2019, quando o Brasil nem desconfiava da Covid-19 e, claro, de seus impactos na economia em 2020.

Foram negociados no período 5,18 milhões de pneus, apenas 0,4% abaixo do volume registrado um ano antes e 11,3% a mais do que em julho. Foi o melhor resultado mensal de 2020, superando em cerca de 528 mil unidades a marca de julho, até então a maior no ano.

Ainda assim, o setor acumula declínio de 22% no acumulado de janeiro a agosto, com o número de unidades vendidas recuando de mais de 39,1 milhões para quase 30,4 milhões.

A Anip, Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, credita o bom desempenho de agosto aespecialmente à reposição, que absorveu 3,99 milhões de unidades, 6,4% a mais na ocmparação anual, enquanto o fornecimento direto às montadoras caiu 17,9% no mês, para 1,2 milhão.

Os negócios com pneus para carros de passeio foram o destaque positivo. Seguiram para o mercado de reposição mais de 2 milhões de unidades, 2,7% a mais do que em agosto do ano passado. Somadas as entregas para as montadoras, o segmento superou 2,8 milhões de pneus, 4,6% abaixo do que um ano antes, mas 18,5% acima do que em julho.

Anúncio

“Seguimos em recuperação, principalmente no mercado de reposição, mas ainda temos um longo caminho para alcançarmos os números de 2019”, pondera Klaus CurtMüller, presidente executivo da entidade.

As vendas de pneus de carga em agosto chegaram a 710 mil unidades, significativo cerscimento de 9,6% sobre o resultado de igual mês do ano passado. Mais uma vez reposição impulsionou o resultado ao responder por 581 mil pneus, 20,5% a mais do que em agosto de 2019 e 3,6% acima do resultado de julho.

LEIA MAIS

→ Marcopolo venderá pneus Dunlop em todo o País


Foto: Divulgação