Levantamento do desempenho das instituições financeiras das fabricantes de veículos consolidado pela Anef revela queda de 3,4% no valor liberado para financiamentos em 2020, para R$ 156,7 bilhões contra R$ 162,1 concedidos no ano anterior. O resultado anotado superou expectativa da instituição diante de projeção anterior de queda de 11,8% no total de recursos liberados.

Segundo a associação, o resultado reflete o ambiente desafiador provocado pela pandemia de covid-19, mas marcado pela retomada das vendas do setor automotivo no segundo semestre do ano passado. Para 2021, a Anef enxerga continuidade da recuperação ao estimar um crescimento de 12,5% nos recursos liberados para compra de veículos a prazo, para R$ 176,3 bilhões.

“De acordo com os indicativos dos últimos anos e a avaliação da entidade sobre o potencial do mercado automotivo, acreditamos que o setor vai seguir em recuperação”, resume em nota Paulo Noman, presidente da Anef. “Os resultados do total de recursos liberados do último trimestre de 2020 foram positivos, chegando a atingir níveis pré-pandemia. Outro indicador favorável é o aumento contínuo no saldo das carteiras. Assim, as projeções para 2021 são positivas, mas é preciso continuar a observar com cautela o comportamento da indústria nos próximos meses”

Anúncio

O saldo total das carteiras apontado pelo dirigente, com expansão desde 2017, somou R$ 284,3 bilhões no ano passado, um aumento de 10,5% em relação ao ano anterior, quando o valor foi de R$ 257,4 bilhões.

O CDC representou a maior parte dos financiamentos de veículos em 2020 ao totalizar R$ 282 bilhões do saldo, alta de 11,2% no confronto com o ano anterior, quando encerrou o período com R$ 253,6 bilhões. Já o Leasing perde força com registro de R$ 2,9 bilhões, contra R$ 3,7 bilhões de 2019, uma queda de 37,8% no saldo das carteiras.

LEIA MAIS

→Paulo Noman assume presidência da Anef


Foto: Pixabay