Ainda que com avanço em março, o mercado de veículos usados começou a reduzir o ritmo de crescimento que vinha registrando nos últimos meses. Foram vendidas no mês passado 1.237.030 unidades, 4% a mais do que em fevereiro.

Segundo a Fenauto, Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, que representa lojistas de seminovos e usados de todo o País, o tímido índice já reflete o “agravamento da pandemia e as restrições impostas a várias cidades, com o fechamento das lojas em geral”.

Caso persistam as restrições para o comércio, a entidade já antevê quedas sequenciais nas vendas nas próximas semanas.

“Tivemos um resultado razoavelmente bom em março, pois a evolução do setor vinha sendo contínua. Mas o agravamento dos casos de Covid por todo o país, a parada na produção das montadoras, o fechamento dos Detrans e as novas restrições de funcionamento das lojas ainda devem trazer dificuldades para o segmento”, afirma Ilídio dos Santos.

Anúncio

O desempenho do primeiro trimestre, de qualquer forma, é positivo. De janeiro a março foram negociados 3.587.362 veículos, evolução de 14,1% sobre igual período do ano passado, quando foram registradas pouco mais de 3,1 milhões de transações.

É preciso considerar, porém, que somente a partir da segunda quinze de março de 2020 os negócios começaram a ser afetados pelo surgimento da pandemia. Naquele mês, chegaram às ruas 901 mil usados, 12% a menos do que no mês anterior.

LEIA MAIS

Vendas de veículos recuam em março


Foto: Divulgação