A produção e venda de veículos elétricos estão crescendo mais rapidamente do que muitos poderiam imaginar há bem pouco tempo. Segundo recente estudo da Ernst & Young, o domínio dessa tecnologia no mercado mundial se fará até 2033, cerca de cinco anos antes do esperado.

Contribuem e contribuirão ainda mais para isso regulamentações mais rígidas de emissões nos principais mercados globais, o maior conhecimento dos consumidores sobre os produtos e a demanda por transportes sem emissões.

A consultoria acredita que as vendas de veículos elétricos ultrapassarão as de modelos a combustão na Europa, Estados Unidos e China nos próximos 12 anos. Mais ainda: que motores alimentados por combustíveis fósseis praticamente desaparecerão antes de 2050. Já em 2045, projeta a Ernst & Young, devem representar somente 1% do mercado global.

A Europa está na liderança dessa corrida rumo ao futuro dominado pelos veículos elétricos, de acordo com a consultoria. Lá, os modelos de emissão zero responderão pela maioria das vendas já em 2028, enquanto isso acontecerá na China em 2033 e apenas em  2036 nos Estados Unidos, onde as regulamentações sobre combustíveis foram flexibilizadas nos últimos anos.

Anúncio

O estudo também identificou a geração dos millennials como potencial impulsionadora das vendas de elétricos nos próximos anos. Influenciado pela pandemia, esse público tende a rejeitar mais os carros compartilhados e o transporte público, aumentando a demanda por veículos próprios, sendo que um terço deles, neste caso, optariam por um modelo movido a eletricidade somente.

LEIA MAIS

→ Exportações e eletrificação nortearão Nissan no Brasil

Daimler e Volvo anunciam planos da cellcentric, joint venture para células de combustível


Foto: Divulgação