O Grupo Daimler e o Grupo Volvo formalizaram na quinta-feira, 29, em transmissão online, as ambições da cellcentric, joint venture para desenvolver, produzir e comercializar células de combustível. A iniciativa é chave para acelerar e contribuir no processo de transformar o transporte rodoviário de longas distâncias neutro em carbono.

A aliança, constituída com 50% de cada grupo, tem meta de se tornar líder global na fabricação de células de combustível baseadas em hidrogênio. Para isso construíra na Europa uma unidade dedicada à produção em série, com a promessa de ser uma das maiores instalações da região. Ao mesmo tempo, encaminhará pedidos à União Europeia por políticas que tornem a tecnologia comercialmente viável, fator que esbarra em infraestrutura de abastecimento e questões tributárias.

Certamente a cellcentric se beneficiará da força e capacidades de duas gigantes da indústria de veículos comerciais. Ambas as fabricantes compartilham do prognóstico de que não basta apenas o caminhão puramente elétricos para criar um ecossistema sustentável no setor de transporte rodoviário. Baterias e células de combustível são soluções complementares. Caminhões menores, mais leves e aplicados em curtas distâncias, tendem a seguir com o uso de baterias e, os pesados, destinados às longas rotas, utilizarão o hidrogênio.

“Os caminhões elétricos movidos a células de combustível baseadas em hidrogênio serão a chave para permitir o transporte neutro de CO2 no futuro. Em combinação com caminhões elétricos movidos a bateria, permite-nos oferecer aos nossos clientes as melhores opções de veículos genuinamente neutros, dependendo da aplicação”, reforça Martin Daum, CEO da Daimler Truck e membro do Conselho de Administração da Daimler.

“Nossa ambição conjunta é cumprir as metas do Acordo de Paris de nos tornarmos neutros em relação ao CO2 até 2050, o mais tardar. Estamos convencidos de que a tecnologia de células de combustível baseadas em hidrogênio desempenhará um papel essencial para nos ajudar a alcançar esse marco”, completa Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo. Mas também é preciso haver maior cooperação entre os stakeholders públicos e privados para desenvolver a tecnologia e a infraestrutura necessárias.”

Anúncio

As principais fabricantes de caminhões de Europa, incluídas a Daimler e a Volvo, encaminham pedido de instalação de 300 postos de abastecimento de hidrogênio adequados para veículos pesados até 2025 e, chegar a 1 mil pontos até 2030. Em paralelo destacam a importância de políticas de incentivo para garantir demanda e acessibilidade, afinal, caminhões elétricos movidos a bateria ou a células de combustível são bem caros que os veículos convencionais.

A localização da futura fábrica da cellcentric ainda não foi definhada e deverá ser revelada no ano que vem. Por enquanto, a joint venture se estabeleceu em Esslingen, cidade próxima a Stuttgart, na Alemanha. Os testes com clientes estão planejados para começar em torno de três anos e a produção em série logo a seguir.

A cellcentric foi criada em 1º de março de 2021 a partir da compra de 50% de participação na Daimler Truck Fuel Cell pelo Grupo Volvo por volta de € 600 milhões. Embora parceiras, as fabricantes seguem concorrentes, até mesmo na integração de células de combustível em caminhões.

LEIA MAIS

→Células de combustível: Daimler e Volvo concluem joint-venture.

→Daimler e Volvo: testes com caminhões a célula de combustível em 3 anos.


Foto: Daimler/Divulgação