O primeiro semestre do ano acumulou 2,9 milhões de veículos negociados a prazo, 26% superior ao anotado no mesmo período do ano passado, quando os financiamentos somaram 2,3 milhões. Os volumes se referem a autoleves, motocicletas e pesados.

Do total, de acordo com os dados da B3, operadora dos Sistema Nacional de Gravame, pouco mais de 2,01 milhões representaram unidades usadas, em alta de 30,9%, na mesma base de comparação, quase 70% das vendas. Já os financiamentos de novos somaram 872 mil, crescimento de 15,9%.

Para Tatiana Masumoto Costa, superintendente de Planejamento da B3, o avanço da pandemia no primeiro semestre do ano passado impactou o mercado de maneira expressiva, o que distorce os resultados do exercício de 2021. “Os valores atuais estão bastante próximos aos do primeiro semestre de 2019, quando também foram registrados 2,9 milhões de financiamentos.”

Apenas no mês passado, as vendas a prazo somaram 516 mil veículos novos e usados, altas de 2,4% em relação a maio, quando registrou 504 mil financiamentos, e de 33,8% na comparação com junho de 2020, ocasião na qual 386 mil unidades foram negociadas.

Anúncio

O CDC segue como o preferido nas vendas de veículos a prazo, com mais 87% no total de negócios realizado em junho. Foram mais de 450 mil unidades vendidas pela modalidade, volume que representou alta de 34,6% na comparação o mesmo mês do ano passado.

LEIA MAIS

→Financiamento de veículos avança perto de 8% em maio

→Financiamento de veículos usados cresce, enquanto o de novos cai


Foto Pixabay/Divulgação