Pouco mais de um ano depois de encerrar a oferta de seus carros de passeio na China, a Renault decidiu voltar ao maior mercado mundial de automóveis. Nesta segunda-feira, 9, a montadora anunciou a formação de joint venture com a Geely, maior grupo automotivo privado chinês, para o desenvolvimento, produção e vendas de modelos híbridos.

A ideia é que os produtos da nova empresa sejam destinados, em princípio, aos principais mercados asiáticos. Para isso, a parceria partirá das tecnologias e da grande estrutura industrial e cadeia de fornecedores da Geely na China. Lá, as empresas oferecerão carros híbridos sob a marca Renault, com a montadora francesa contribuindo com a estratégia de marca, marketing, canal e desenvolvimento de serviços.

Outra base de atuação e de produção da joint venture estará na Coreia do Sul, onde a Renault Samsung Motors tem mais de duas décadas.

O acordo prevê ainda que Renault e Geely explorem conjuntamente a produção para os mercados regionais de veículos derivados nas plataformas da Lynk & Co, marca de automóveis eletrificados criada pela Geely e por sua controlada Volvo há cinco anos e que está presente na Europa.

Anúncio

LEIA MAIS

→ Renault estende paralisação até o dia 27

Grupo Renault vende 1,4 milhão de veículos no primeiro semestre

Renault desistiu de negociar seus carros de passeio da China em abril do ano passado para se dedicar apenas a veículos comerciais leves e elétricos. Até então, desde 2016 por meio da joint venture Dongfeng Renault Automotive, produzia localmente modelos como os SUV Captur e Koleos, além de transmissões.

A operação de comerciais leves segue com a Renault Brilliance Jinbei Automotive, incumbida da produção e vendas, enquanto o desenvolvimento da linha de veículos elétricos é atribuição das joint ventures eGT New Energy Automotive e Jiangxi Jiangling Group Electric Vehicle e, não está descartado, talvez da nova  parceria com a Geely.


 

Foto: Divulgação