Os primeiros compradores brasileiros do Chevrolet Bolt 2022 terão de esperar mais um pouco para receber seus veículos e circular com a versão 2022 por aí. A General Motors confirmou nesta quinta-feira, 2, que o cronograma de chegada às concessionárias de seu carro elétrico será modificado.

“As recentes alterações na cadência de produção impactam o cronograma de fornecimento e comercialização do novo modelo no mercado brasileiro”, afirmou a montadora, referindo-se à paralisação de  pelo menos 15 dias iniciada esta semana na fábrica de Orion, Michigan, única base produtiva do modelo nos Estados Unidos.

Apresentada no começo de agosto, a segunda geração do modelo está prevista para aportas nos showrooms de 79 revendas em setembro.

LEIA MAIS

→ GM interrompe produção do elétrico Bolt nos Estados Unidos

A montadora resolveu interromper a produção do modelo em decorrência de falhas nas baterias fornecidas pela LG Chem. Segundo e GM, há registros de que dez unidades do Bolt, em vários mercados, pegaram fogo por problemas no componente responsável pela energia que alimenta o motor elétrico de propulsão.

“O Novo Bolt será comercializado no Brasil com os módulos de baterias de alta voltagem já em conformidade”, alerta a GM do Brasil, que, desde que começou a ser vendido aqui, no começo do ano passado, negociou mais de duas centenas do elétrico.

Anúncio

Essa frota é apenas uma pequena fração dos quase 142 mil Bolt vendidos em todo o mundo, desde seu lançamento, e que, nos últimos dois meses, foram convocados para substituição das baterias. Estimativas iniciais apontam que a operação deve custar US$ 1,8 bilhão à GM,  que também busca  compartilhar a despesa com a LG Chem.

As unidades vendidas aqui, todas na primeira geração, foram fabricadas entre junho de 2019 e junho de 2020. A subsidiária brasileira da GM diz que o risco de incêndio se dá somente durante o processo de carregamento ou com a bateria carregada totalmente ou próxima do limite.

Por isso, enquanto não dispuser de novas baterias para substituição, a rede Chevrolet mexerá na configuração do sistema para limitar o carregamento a até 90% da capacidade da bateria.

O Bolt é montado sobre aBEV2, plataforma da GM dedicada a veículos elétricos, e foi exibido ao púlbio pela primeira vez no Salão de Detroit, em 2015. A produção, porém ,começou somente no ano seguinte.


Foto: Divulgação