AFord promete para o próximo mês o início das vendas na sua rede de concessionárias das versões para passageiros da Tansit. Produzida no Uruguai, a linha é a primeira investida da marca estadunidense na área de utilitários após o anúncio oficial da criação da Divisão de Veículos Comerciais no Brasil.

Com dois comprimentos e duas alturas que somam cinco versões – com 14+1 ou 15+1 lugares, 17+1 ou 18+1 lugares e e a chamada versão vidrada -, o minibus será oferecido apenas em duas cores: branco e prata, que, segundo a empresa, são consideradas as mais usadas e fáceis para adesivagem e envelopamento. Seus preços ainda não foram divulgados.

“A Transit é um ícone global, com mais de 60 anos de tradição, e chega ao Brasil com os mesmos atributos que a tornaram líder de vendas na Europa e nos Estados Unidos”, comentou Guillermo Lastra, diretor de Veículos Comerciais da Ford América do Sul, nesta sexta-feira, 24, durante a apresentação da linha de passageiros. “Ela faz parte do Ford Pro, um ecossistema completo criado para oferecer máxima produtividade para o cliente comercial, com o melhor produto e o menor custo total de operação”.

Equipada com o motor EcoBlue 2.0 turbodiesel, o veículo tem transmissão manual de seis velocidades e tração traseira. Dentre outros equipamentos, vem de série com piloto automático adaptativo, sistema de permanência em faixa, auto start-stop, três modos de condução, volante multifuncional, estribo elétrico automático, cinto de segurança de três pontos para todos os passageiros e conexão USB nas fileiras.

Anúncio

LEIA MAIS

Com Transit, Ford cria divisão de veículos comerciais na América do Sul

Comerciais leves têm 21% das vendas, maior participação da história

Segundo a Ford, a Transit é o primeiro modelo do gênero a trazer conectividade de série no mercado brasileiro. Um dos itens é o aplicativo FordPass, “que aumenta a produtividade e agiliza os serviços para o cliente profissional que não pode parar”.

A nova Transit é feitaa no Uruguai em uma nova fábrica construída pela Ford em parceria com a Nordex. Para adequar o veículo ao mercado brasileiro, a engenharia local promoveu mais de 1 milhão de quilômetros de testes usando a estrutura do Campo de Provas de Tatuí, em São Paulo.


Foto: Divulgação/Ford