As entregas da indústria de implementos rodoviário nos dez primeiros meses do ano somaram 134,2 mil unidades, desempenho que representou crescimento de 38,2% sobre o anotado no mesmo período do ano passado, de 97,1 mil produtos.

De acordo com a Anfir, o volume registrado até outubro supera os do encerramento dos últimos seis exercícios, de 2015 a 2020. “O resultado até aqui deixa claro como o setor está conseguindo superar os muitos obstáculos que têm surgido em sua jornada de recuperação”, avalia José Carlos Spricigo, presidente da associação dos fabricantes do segmento em nota divulgada na terça-feira, 9. “A meta de 156 mil produtos em 2021 está próxima de ser conquistada.”

Segundo o dirigente, apesar do desempenho positivo o atual ambiente econômico desafiador exige cautela. Há eventual desabastecimento de matérias-primas e componentes, além da elevação dos custos, em especial da energia. “Essa questão só tem uma saída: economizar, equilibrar os gastos para reduzir a conta sem afetar a produtividade.”

Anúncio

A categoria de pesados, que reúne reboques e semirreboques, segue com a maior representatividade nas vendas, encerrando os dez meses com 56%. De janeiro a outubro, o mercado transportador recebeu 75,2 mil unidades, alta de 40,2% sobre o volume de 53,6 mil entregues há um ano.

Por sua vez, as vendas de carrocerias sobre chassi somaram até outubro pouco mais de 59 mil produtos, alta de 35,7% em relação ao volume anotados um ano antes, de 43,4 mil unidades.

LEIA MAIS

→Mercado de implementos rodoviários cresce 42% no ano


Foto: Scania/Divulgação