Por Redação

O BNDES melhorou as condições para micro, pequenas e médias empresas comprarem implementos rodoviários por meio do Finame, ampliando a parcela financiada para até 100% do valor do bem. A medida, anunciada através da circular 43 de 29 de dezembro de 2017 e válida desde o início de janeiro, vai beneficiar o setor e poderá contribuir para o aumento dos negócios na área, de acordo com nota divulgada na terça-feira, 30, pela Anfir:

“Essa medida favorece bastante uma parcela de nosso mercado que é cliente dos produtos do segmento leve, o de carroceria sobre chassis”, avalia Alcides Braga, presidente da Anfir, Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários.

Antes da publicação da circular 43, o BNDES limitava o financiamento a 80% do valor do equipamento com juros de 7,5% ao ano. O prazo de pagamento dos novos financiamentos será de até dez anos, com carência de até dois anos. “Está clara a postura do BNDES de exercer seu papel histórico de instituição de fomento da indústria”, destaca Braga.

A circular também substitui a TJLP, Taxa de Juros de Longo Prazo) pela TLP, Taxa de Longo Prazo, como referencial nos financiamentos. Ela vale para os contratos assinados a partir de 1º de janeiro de 2018. A nova taxa seguirá inicialmente os mesmos patamares da TJLP sendo gradualmente ajustada até se igualar aos juros de mercado em cinco anos.

A Anfir informou ainda que outra medida tomada pelo banco em apoio às médias e pequenas empresas foi a prorrogação do BNDES Giro até 31 de dezembro de 2018. Essa linha de crédito supre a necessidade de capital de giro das empresas garantindo a continuidade de suas operações.

“Esse suporte é importante porque deverá auxiliar na sustentação das MPMEs duramente atingidas pela crise geral da economia”, diz Mario Rinadl, diretor executivo da Anfir. O volume de recursos do BNDES Giro é de R$ 32 bilhões, sendo R$ 27 bilhões para operações indiretas e R$ 5 bilhões para operações diretas.

A indústria de implementos rodoviários fechou o ano de 2017 com retração de 2,42% na média dos seus negócios. O segmento de carroceria sobre chassis registrou queda de 8,3%, com a venda de 35,6 mil produtos em 2017, enquanto o de reboques e semirreboques fechou o ano com resultado positivo de 7,51% e 24,9 mil unidades comercializadas.


Foto: Divulgação/Anfir