Por Redação | autoindustria@autoindustria.com.br

A Volkswagen revelou na terça-feira, 3 de julho, a primeira imagem do T-Cross, seu mais novo representante no segmento de SUVs compactos. O modelo será lançado para o mercado europeu nos próximos meses e deve ganhar as linhas de montagem da fábrica de São José dos Pinhais (PR) no início do ano que vem, se tornando o primeiro utilitário esportivo da companhia produzido no Brasil. Difícil não imaginar o carro como o astro da marca durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro.

O veículo é estratégico para a montadora em ambicioso plano na reformulação de produtos. Somente para o projeto de produção na unidade do Paraná, a Volkswagen investe R$ 2 bilhões, dos quais R$ 600 milhões no desenvolvimento do modelo para a região e o R$ 1,4 bilhão restante nas adequações da fábrica.

LEIA MAIS

→Volkswagen investe R$ 2 bilhões para produzir o SUV T-Cross no Paraná

→Dos 20 lançamentos da VW, 13 terão produção local até 2020

Os recursos fazem parte de ciclo de investimento de R$ 7 bilhões para o País, o que inclui o lançamento de 20 modelos – 13 produzidos no Brasil, dois na argentina e cinco importados. Estão no pacote os lançamentos do Polo, do Virtus, da Amarok V6 e, mais recentemente, Golf e Golf Variant.

O complexo fabril da montadora no Paraná também será a base de exportação do T-Cross para mercados da América do Sul, Central e Caribe. As primeiras unidades enviadas estão previstas ainda para o primeiro semestre de 2019.

Embora ainda revele informações técnica, exceção do comprimento (4.107 mm), o T-Cross compartilha a mesma plataforma do Golf, Polo e Virtus, o que sugere o uso dos mesmos motores, especialmente o 1.6 MSI e o 1.0 TSI, ofertados no Polo. Comunicado adianta, no entanto, que o modelo terá trilho na fileira de bancos traseiros para ajuste de espaço.

O T-Cross terá pela frente briga em segmento acirrado no qual disputam modelos como Honda HR-V, Jeep Renegade, Nissan Kicks e Hyundai Creta.


Foto: Volkswagen/Divulgação