Dentre as boas práticas  da fabricante também está o reaproveitamento do lodo da pintura

Por Redação

Como destaque do Dia do Meio Ambiente, a Renault do Brasil revela que o Complexo Ayrton Senna, sua unidade produtiva localizada em São José dos Pinhais (PR) recicla 100% dos resíduos gerados no processo de produção. A fábrica alcançou a marca no fim de 2016 e se tornou a primeira da marca a atingir o feito fora da Europa.

Segundo a empresa, em todo o ano passado foram registradas a redução de mais de 420 toneladas de resíduos e a queda de 20% do índice de geração de resíduos por veículo fabricado.

De acordo com Rodrigo Tavares, supervisor de Meio Ambiente da Renault, todas as destinações foram pensadas de maneira a priorizar a redução na geração, tendo em vista o reuso, a reciclagem ou mesmo a incorporação a outros processos produtivos.

Anúncio

De isopor a pallets – A política ambiental da companhia é baseada na economia circular, na qual se evita o descarte do material, mas que seja aplicado em outro processo ou tenha outra finalidade. Um mapeamento inicial identificou cinquenta itens com potencial de reutilização e, partir daí, a criação de um catálogo desses materiais. Dentre os itens reciclados estão isopor, papel branco, madeira, papelão, plástico e lodo de pintura. A fábrica ainda reaproveita pallets, caixas de papelão e embalagens plásticas.

No complexo industrial paranaense até mesmo os resíduos sanitários deixaram de ser destinados a aterros e hoje auxiliam na recuperação de áreas degradadas, depois de passarem por um processo de compostagem acelerada.


Foto: Divulgação/Renault