Após conversas iniciadas em novembro de 2017, um ano de desenvolvimento e sete meses de testes intensivos, a Scania rompeu barreira hegemônica no transporte público de Curitiba (PR), especialmente no sistema BRT, no qual até agora circulava apenas veículos da Volvo. A fabricante de São Bernardo do Campo (SP) entregou seis unidades do biarticulado F360 para a Viação Cidade Sorriso, operadora local com frota de 247 ônibus, o que representa 10% do transporte da cidade.

A conquista da Scania foi tratada com divisora de águas. Em solenidade da entrega dos veículos diante da Câmara Municipal, o prefeito Rafael Greca comemorou a chegada das novidades. “Procuramos o custo menor e, devido à concorrência, conseguimos comprar o mais barato. Transporte é um bem urbano com objetivo de melhor atender a população. Em um ano já renovamos 163 ônibus e certamente voltaremos a ser referência mundial em transporte.”

Os seis ônibus que chegam à frota da cidade fazem parte de uma das fases obrigatórias de renovação de veículos do município, iniciada esse ano e que se estende até 2021. Pelos números da Urbs, Urbanização de Curitiba, órgão gestor do sistema de transporte da capital paranaense, o sistema BRT local soma 141 biarticulados, o que significa que agora a Scania participa com 4% da frota deste tipo de ônibus. Ainda parece pouco, mas revela oportunidades ao empresariado do transporte.

Segundo Maurício Gulin, presidente da Viação Cidade Sorriso, a livre concorrência é salutar e “todos são convidados a participar”. O empresário conta que apenas a notícia da entrada da Scania em sua frota, fez com que a Volvo evitasse reajustes nos valores de seus produtos. “Na renovação, além dos seis da Scania, compramos outros quatro Volvo. Posso dizer que na negociação conseguimos economia em torno de R$ 180 mil em cada unidade adquirida, considerando chassi e carroceria.”

O empresário também destaca que não foi somente o poder da concorrência a trazer vantagem ao negócio. Os testes apresentaram resultados promissores, especialmente no que diz respeito redução de custos. Ao longo das demonstrações, os biarticulados da Scania mostraram potencial de proporcionar até 3% de economia no consumo de combustível.

Anúncio

Adriano Guedes, engenheiro de produto da fabricante, escalado para acompanhar de perto todo o projeto, do desenvolvimento às negociações, lembra que foi trabalho intenso para entregar resultado. Os biarticulados da Scania incorporados à frota da Curitiba são 1 tonelada mais leve em relação aos modelos da rival. “Embora os chassis não tenham recebido nenhuma adaptação, são fabricados para serem o mais leve possível, a carroceira ganhou muita atenção, como substituição do vidro traseiro por placa metálica, vidros mais estreitos e como também tubos mais finos. Foi uma somatória de ajustes feitos pela Caio (responsável pelo encarroçamento).”

LEIA MAIS

→Scania faz a maior venda de chassi urbano de sua história

→Viação Cometa incorpora Scania com ADAS

→Scania: aposta de 15 metros, 8×2 e dois andares.

O biarticulado Scania F360 tem capacidade para 43,5 mil kg de PBT, “a maior do mercado”, garante Guedes. O veículo é capaz de transportar 270 passageiros, mas no sistema de Curitiba, operará com 250 pessoas no sistema. O ônibus tem 27 metros e é equipado com motor de 360 cv e torque de 1.850 Nm (188,7 kgfm), “também o maior em relação à concorrência”, destaca o engenheiro. O câmbio é automático, da Allison, de seis marchas.

Em junho próximo, um anova janela de renovação deverá ser aberta na capital paranaense. No pacote serão mais duzentos ônibus, dos quais trinta biarticulados. “A oportunidade pode despertar interesse de outras empresas a experimentar as vantagens da livre concorrência”, resume o presidente da Viação Cidade Sorriso.


Foto: Scania/Divulgação